jan 16 2017

POR QUE NÃO INVESTIGAM E APURAM?

Published by under Jornalismo

EDITORIAL_1

POR QUE NÃO INVESTIGAM E APURAM?

Marquinho Mendes (PMDB) e Alair Corrêa (PP) e seus coadjuvantes trocam pesadas críticas que vão da corrupção deslavada a empreguismo da parentada, passando até mesmo por acusações, envolvendo a vida pessoal. Apesar de toda essa metralhadora giratória de insultos, que acaba por atingir, de uma forma ou de outra, toda a sociedade, nunca os protagonistas partiram para a investigação séria e aberta. Processo democrático com absoluta transparência e da qual a população pudesse participar e saber todas as etapas de apuração. Por que não fazem? Será que interessa?


No responses yet

jan 16 2017

FEBRE AMARELA – Orientações para a vacinação.

Published by under Jornalismo

FEBRE-AMARELA

A vacina contra febre amarela é altamente eficaz e segura para o uso, mas é importante verificar a necessidade de tomar a vacina. Confira no quadro abaixo a indicação para vacinação e fique ligado para não se vacinar sem precisar. Lembramos que a vacina está disponível no SUS durante todo o ano, em todo o país. Em 2016, o Ministério da Saúde enviou aos estados mais de 16 milhões de doses.


No responses yet

jan 16 2017

EDUCAÇÃO

Published by under Jornalismo

ESCOLA


No responses yet

jan 16 2017

CADERNO DE POLÍTICA

Published by under Jornalismo

POLITICA_5

Coqueiros contra o aquecimento global

cabo-frio

Plantar coqueiros na orla da Praia do Forte também está incluído entre os contratos emergenciais feitos pelo governo de Marquinho Mendes (PMDB), depois do decreto de “calamidade financeira”? Poxa, deve ser por conta do aquecimento global, gerando a necessidade de muita cobertura vegetal e sombra. Coqueiro dá muita sombra. Que beleza!

Beijo no coração e no meio ambiente.

A turma da coordenação municipal de meio ambiente deve ter aprovado oficialmente a iniciativa emergencial do prefeito Marquinho Mendes (PMDB), sempre preocupado com a questão ambiental. Foi da lavra do governo “beijo no coração” aquela famosa intervenção na Praia do Forte com pedras fora do tamanho recomendado tecnicamente, para impedir o avanço do mar numa grande ressaca. Agora só falta a renovação da licença para a retomada das obras do mega loteamento na reserva de Dunas do Peró.

Transformação rápida!

As redes sociais da internet caíram de pau na recusa da bancada governista na câmara em aprovar o requerimento para acesso aos contratos emergenciais do governo Marquinho Mendes. O governo do “beijo no coração” rapidamente se transformou no “farinha pouca, meu pirão primeiro”.

Tom de subserviência.

Na mesma sessão a câmara experimentou vaias e revolta de mãe de vereador. Ao menos nesse comecinho de legislatura o movimento foi grande, embora a bancada governista relembrasse o velho tom de subserviência típica da legislatura passada. É bom não acostumar!

Plantando coqueiro?

Logo que entrou o governo de Marquinhos Mendes (PMDB) anunciou a contratação emergencial de 180 agentes da fiscalização de postura. Como a cidade continua uma zona, valendo tudo e mais alguma coisa, fica então uma pergunta: os fiscais estão plantando coqueiros na orla da Praia do Forte?

CPI do Coqueiral

A revolta da população, especialmente dos servidores públicos municipais, com o plantio de coqueiros na orla da Praia do Forte, em período de “contrato emergencial”, bem poderia gerar a primeira CPI dessa legislatura. Os gozadores já escolheram até o nome “CPI do Coqueiral”. E vamos, que vamos!

O Discreto

HELCIO

Na mesa de negociações entre o novo governo e o SepeLagos, a secretária Laura Barreto, o prefeito Marquinho Mendes, o procurador geral Carlos Magno, que assegurou que a transparência é uma obrigação. Com eles, a discretíssima presença de um dos “manda-chuvas” e principais articuladores políticos da prefeitura, Hélcio Azevedo.

Bloco de oposição?

VANDERLEI-BENTO-2

Alguns observadores da política cabofriense acreditam que as contradições do governo Marquinho Mendes (PMDB) podem reforçar a oposição com a adesão do vereador Vanderlei Bento (PMB). O vereador é filho do deputado Silas Bento (PSDB) e votou pelo acesso a documentação das “contratações emergenciais” feitas pelo novo governo junto com Oseias Couto, Vinicius Corrêa e o autor do requerimento pela transparência, Rafael Peçanha.

O exemplo vem de Búzios

O vereador Rafael Peçanha (PDT) bem que pode mover ação para derrubar na justiça a votação da câmara, que proíbe o acesso aos contratos emergenciais do governo de Marquinho Mendes (PMDB). O exemplo vem de Búzios onde o juiz Gustavo Arruda, respondendo a ação popular, suspendeu duas resoluções da câmara. As resoluções tinham impedido a convocação dos concursados de 2012 e ainda tiveram a audácia de criar 111 cargos, dos quais 91 são assessorias.

Boulevard Canal: baixaria habitual.

O Boulevard junto ao Canal do Itajuru é um dos principais centros turísticos de Cabo Frio. Local de rara beleza e que concentra restaurantes, bares, sorveterias, lanchonetes e boates. No final da tarde de ontem, domingo, e boa parte da noite, um dos barcos que fazem passeios turísticos, de nome Gênesis, ancorado junto ao cais tocava um “funk proibidão”, que incomodava a todos pela altura do som e das letras das músicas de baixíssimo nível. Segundo comerciantes locais a baixaria é habitual: não apareceu viva alma da fiscalização da postura.


No responses yet

jan 16 2017

IGREJA DE SÃO BENEDITO – PASSAGEM – Iva Maria.

Published by under Jornalismo

FOTOS VERMELHO

PASSAGEM-1

PASSAGEM-2

PASSAGEM-3

PASSAGEM-4


No responses yet

jan 16 2017

O DESBUNDE – Adélia Prado.

Published by under Jornalismo

DESBUNDE

Tinha, como direi, eu, que sou uma senhora a seu modo pacata e até pudica, uma, ou melhor, um derrière esplendido. Não é preciso ser homem pra essas avaliações. Firme em definidos e perfeitos contornos, rebelde ao disfarce das saias e anáguas daquele tempo, inscrevia-se na cara de sua dona, que, movendo os olhos como as ancas, subia a rua em falsa pudicicia, apregoando-se: tenho. Os homens ficavam loucos. Eu era mocinha boba e escutei no armazém do Calixto ele dizer pro Teodoro, meu futuro marido, naquele tempo preocupado em fazer bodoques de goma: eh, ferro! O Vicente não vai dar conta daquela ali, não. É preciso muita saúde. Calixto falava com o Teodoro do que eu suspeitava serem os tesouros da Oldalisa e ela nem aí, toda toda, sobe e desce rua. Exatamente o que era me escapava, só podia ser coisa de homem e mulher. Felicitei-me por estar viva e participar de segredos tão excitantes. O Vicente era muito magrinho, não jogava bola, não nadava, “não salientava em nada”, o Vicente

Cisquim. Pois foi dele que a Raimunda — como o Calixto chamou ela naquele dia — gostou. Casaram e tiveram pencas de filhos. O Calixto ficou chupando o dedo. Ser bonitão e dono de armazém não contou ponto pra ele. Pois é, falou o Teodoro, hoje, assim que botou o pé em casa: O que é a tecnologia, hein? Tecnologia? É o avanço da medicina. Teodoro falava era do avanço do tempo. Tou aqui matutando, disse ele, porque a Oldalisa escolheu o Vicente, não tem base. Tô vendo aquela dona pegando as compras no caixa e… Plim! Era ela, a velha senhora. A Oldalisa do Vicente? É. O Vicente estava junto? Não. Estava com duas alianças e um menino, neto dela com certeza. Será que o Vicente morreu da praga do Calixto? Acho que não, porque eu procurei o traseiro da Oldalisa e nada da olda, só mesmo a lisa, magra e murcha. Ter encontrado a Oldalisa expropriada de seu dote mais tentador deixou Teodoro bem filosofante sobre as agruras do corpo. Teria ele também sido um apaixonado da Oldalisa e eu corrido sérios riscos? Porque amor não olha idade, não é mesmo? Agora, daquela do escritório eu tive, medo não, por causa de meus outros poderes, tive inveja. A uma cintura de vespa seguia-se, instruída e fatal, o que a Oldalisa trazia com inocência. Batia à máquina, agarradinha no Teodoro, de saia justa e batom cor de sangue. O apelido dela na firma era Corrosiva, e foi Teodoro quem pôs. Se chamava Rosiva, a perigosa. Imagina o risco que eu corri.

(*) Ilustração do cartunista Gilmar


No responses yet

jan 16 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

LOGO


No responses yet

jan 14 2017

VERGONHA – TRANSPARÊNCIA É SÓ MARKETING!

Published by under Jornalismo

EDITORIAL_1

VERGONHA – TRANSPARÊNCIA É SÓ MARKETING!

O governo que tomou posse em 1º de janeiro tem feito uma barreira de pesadas críticas ao antecessor, porque politicamente é muito esperto e sabe que bater no “velho morubixaba” é tudo que a sociedade ansiosa por vingança e não por justiça, reclama. Tomou posse e imediatamente baixou decreto de “calamidade financeira” e passou a fazer “contratos emergenciais”, isentos de licitação, porque segundo o novo prefeito a cidade precisa de ações em caráter de urgência. Bastou um vereador, como é de direito a qualquer cidadão, querer ter acesso aos contratos, para o grupo de vereadores ligados ao governo votar contra e vetar o acesso. Vergonha!


2 responses so far

jan 14 2017

CADERNO DE POLÍTICA

Published by under Jornalismo

POLITICA_5

Sem medo de ser feliz

MOACIR_CABRAL_5

O nosso querido “Roberto Marinho da Restinga”, o eterno “Garoto de São Fidélis” não tem medo de fantasma e mau olhado. A coluna Informe, da Folha dos Lagos tem o generoso patrocínio da Funerária Santa Casa, leia-se Dinho da Funerária.

Cidade lotada!

Mesmo com Cabo Frio carente de infraestrutura, a cidade ficou lotada em janeiro, embora com sujeira e entulhos, tomando conta das ruas. Segundo os analistas da crise, a falta de grana fez com que a cidade recebesse muita gente das regiões próximas.

Prejuízo e dor de cabeça.

Procaf e Secaf foram levadas no roldão das denúncias e falências. Extinta de boca pelo então prefeito Alair Corrêa (PP), a Comsercaf continua na praça e promete novos vexames e muita dor de cabeça. No 2º Distrito de Tamoios, a Codestam recebeu o “checão” de 25 milhões de reais e sumiu antes de ser votada na câmara: menos uma autarquia para dar prejuízo ao erário público.

Tem que “queimar” gordura para governar – 1.

As alianças e acordos considerados essenciais para a eleição de Marquinhos Mendes (PMDB) ainda serão responsáveis por alguns “freios de arrumação” para que o prefeito possa governar. A tendência é que boa parte da gordura acumulada na campanha venha a ser “queimada”.

Tem que “queimar” gordura para governar – 2.

Tudo leva a crer que vem muito “chororô” por aí, inclusive naquela área da Assembleia de Deus, no sofrido bairro do Guarany, que deu a companheira de chapa de Marquinhos Mendes, a empresária Rute Schuindt. Caso todas as promessas de campanha sejam cumpridas a governabilidade “vai para a cucuia”, como psicografou o grande Vovô Bibiu.

Muito trabalho!

O advogado Carlos Magno, novo procurador geral da prefeitura de Cabo Frio, é também responsável pelo “milagre” de Marquinhos Mendes (PMDB) estar sentado na cadeira de prefeito, no Palácio Tiradentes, localizado na Sesmaria do São Bento. Pouca gente acreditava que o advogado aldeense aceitasse o cargo de procurador. Afinal, Marquinhos por si só já lhe dá muito trabalho, o município junto …

CARLOS_MAGNO_5 MARQUINHO_MENDES11 AQUILES_BARRETO_01

Magno                                    Marquinhos                        Aquiles

Prefeito, Procurador e Vereadores precisam se entender: tem transparência ou não tem?

O advogado Carlos Magno é procurador geral do governo de Cabo Frio, cujo prefeito Marquinho Mendes, do PMDB, é seu cliente. Ou será paciente? O advogado garantiu publicamente que transparência é obrigação do governo. A bancada governista na câmara de vereadores não tem o mesmo entendimento do procurador geral. Negou ao vereador Rafael Peçanha (PDT) acesso aos contratos emergenciais feitos pela prefeitura após Marquinho Mendes ter decretado “calamidade financeira”. É preciso procurador, prefeito e vereadores governistas se entenderem. Existe ou não transparência no governo?

O que a bancada de Marquinhos Mendes (PMDB) quer esconder?

A questão que a bancada governista quer esconder é que os contratos feitos em caráter emergencial, após o decreto de calamidade financeira, são isentos de licitação. Por que quer esconder? Quais são as empresas? Quem são os seus proprietários? Quais os valores dos contratos? Tem algum contribuinte da campanha do atual prefeito entre os proprietários das empresas que receberam os contratos? A população tem o direito de saber. É dinheiro público, da prefeitura e não do prefeito.


No responses yet

jan 14 2017

INTERCÂMBIO POLÍTICO E CULTURAL

Published by under Jornalismo

F

INTERCÂMBIO POLÍTICO E CULTURAL

O Profº Ms. Fernando Chagas (Política Social – UFF/RJ) músico e pesquisador de Cabo Frio, que, participa de um intercâmbio político cultural na Itália, acompanhou a aprovação da Lei “Reddito di Solidarietà-RES” (“Renda de Solidariedade” ), que cria um salário mínimo de 400 € (euros) para as pessoas que se encontram em um estado grave de pobreza na Região Italiana Emilia Romagna. A Lei deve impactar cerca de 80.000 pessoas.  Serão investidos 35 milhões de euros, cerca de 119 milhões de reais de 2017 a 2019.  A lei tem como objetivo reduzir a desigualdade social dentro do princípio de solidariedade em contraste com as políticas de austeridade desenvolvidas nos últimos anos na União Europeia. A lei foi aprovada no dia 14 de dezembro 2016, na Região Italiana Emilia Romagna. Na foto, Fernando Chagas ao lado do deputado Yuri Torri do Partido Esquerda Italiana (SEL/SINISTRA ITALIANA), autor da lei com o deputado Igor Taruffi, do mesmo partido. Fernando Chagas é membro do PDT de Cabo Frio.

 


No responses yet

jan 14 2017

NOSSA TRIBO – José Correia Baptista.

Published by under Jornalismo

NOSSA-TRIBO


No responses yet

jan 14 2017

REFLEXO – Sérgio Quissak

Published by under Jornalismo

REFLEXO


No responses yet

jan 14 2017

MERITOCRACIA

Published by under Jornalismo

MERITOCRACIA


No responses yet

jan 14 2017

TEATRO QUINTAL – A POESIA DO CORPO

Published by under Jornalismo

TEATRO


No responses yet

jan 14 2017

CHUVA – Fábio Emecê.

Published by under Jornalismo

FABIO-EMECE


No responses yet

jan 14 2017

JANIO NO CONSÓRCIO LAGOS SÃO JOÃO.

Published by under Jornalismo

15995328_10211040943875711_499551707_n

Participei de reunião do Consórcio Lagos São João, onde foram definidas estratégias e projetos para 2017. Na pauta o reflorestamento da mata ciliar do Rio São João, a realização de uma assembleia geral dos comitês de bacia do consórcio, audiência com o Secretário Estadual do Ambiente e um diagnóstico das políticas do consórcio na Região.

(*) Escritório do deputado Janio Mendes.


No responses yet

jan 14 2017

RADIOTERAPIA NO HOSPITAL SANTA IZABEL.

Published by under Jornalismo

1

2

Boa notícia para Cabo Frio e Região! Após luta intensa contra a burocracia, conseguimos a publicação em Diário Oficial da deliberação que pactua o credenciamento do serviço de radioterapia do Hospital Santa Izabel.

(*) Do perfil do deputado Janio Mendes (PDT), no Facebook.


No responses yet

jan 14 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_2


No responses yet

jan 13 2017

VEM QUENTE, QUE ESTÁ FERVENDO!

Published by under Jornalismo

EDITORIAL_1

VEM QUENTE, QUE ESTÁ FERVENDO!

O período de alta temporada de Verão costuma ser modorrento, do ponto de vista político. Esse ano não! A crise deixada pela administração do ex-prefeito Alair Corrêa (PP) provocou tantas feridas, em especial os atrasos de salários dos servidores e as imensas dívidas com prestadores de serviços e fornecedores, que o aquecimento global “é pinto”: a cidade está mesmo é fervendo! O noticiário é tomado pelas negociações do governo com os sindicatos, às repercussões políticas na câmara e os descontentamentos que começam a se esboçar nos primeiros dias do governo, que começa a se instalar.


No responses yet

jan 13 2017

CADERNO DE POLÍTICA

Published by under Jornalismo

POLITICA_5

Atritos

Ao abraçar no governo gente, que durante muito tempo pertenceu ao esquema político “alairzista” o governo de Marquinhos Mendes (PMDB) começou a se atritar com parte do pessoal do seu próprio grupo. Em época de crise o “farinha pouca, meu pirão primeiro” pesa bastante nas relações políticas.

CARLOS_VICTOR-1  &  AQUILES-BARRETO-3

A dobradinha da parentada.

Em 2018, o “grande irmão”, Carlos Victor (Vivique), um dos “homens fortes” do governo, do PMDB, de Cabo Frio, quer fazer dobradinha com o primo Aquiles Barreto (SD). O sonho de Vivique é ocupar uma cadeira, na câmara federal, em Brasília. Com Alair ou Marquinho, a parentada sempre presente.

É estranho!

Estão plantando coqueiros, que não dão sombra,  na orla da Praia do Forte. Em meio a atrasos monumentais de salários, desrespeito a legislação trabalhista, lixo e entulhos por toda a cidade, a prefeitura dá prioridade ao plantio de coqueiros. É estranho! Quem é o fornecedor?

 SILAS_ALAIR

Silas Bento foi vice-prefeito de Alair Corrêa entre 2013/2016.

Novo deputado

Silas Bento (PSDB) assumiu a cadeira na Assembleia Legislativa e vai enfrentar período extremamente turbulento. A bancada tucana tem quatro parlamentares sob a liderança de Luiz Paulo e faz oposição formal ao governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB). Agora, Silas Bento não tem mais como reclamar da falta de espaço político.

Oposição.

O deputado cabofriense terá que se habituar a fazer oposição. Afinal o ex-vereador e ex-vice-prefeito, que tem longa carreira política, ainda não sabe pra valer o que é isso. Quem sabe, na Assembleia Legislativa, onde não tem bobo, Silas Bento (PSDB) aprende com afinco essa que pode ser uma nova faceta de sua vida política: oposição!

Concorrência acirrada.

Diferentes órgãos da mídia cabofriense competem entre si na maratona de bajulação ao novo prefeito. Mesmo aquelas mídias que ao longo do tempo perderam a noção e o atacaram abaixo do nível do insulto, estão correndo atrás de Marquinho Mendes (PMDB). Em tempos de “farinha pouca …”

RENATO_VIANNA_03

Ancorado no Porto do Forno.

Estrategicamente ancorado na direção do Porto do Forno, o ex-prefeito Renato Vianna ressuscitou politicamente em Arraial do Cabo. Após período “sabático” no governo do amigo e aliado político Alair Corrêa (PP), Renato Vianna voltou a sentir o gosto do poder. Tem fila de cabofrienses querendo um papo com ele e jurando ter nascido no Hospital de Arraial do Cabo e brincado carnaval no Bloco do Feijão.

O papo? Política!

O ex-deputado Paulo César Guia (PSDB), o empresário José Martins (Picanha do Zé) e o professor José Américo Trindade, o Babade e o “Homem do PSOL”, Cláudio Leitão tem se reunido diariamente no café da Galeria Square Garden, na Praça Porto Rocha. O papo que rola, evidentemente, política.

R

Transparência só da “boca pra fora”

O vereador Rafael Peçanha (PDT), líder da oposição, teve derrotado o requerimento pedindo os contratos emergenciais feitos pelo Governo Marquinho Mendes (PMDB) após ter declarado ‘estado de calamidade financeira’ no município. A decisão da bancada governista é justamente o oposto da entrevista publicada ontem na Folha dos Lagos, na qual o procurador geral do município, o advogado Carlos Magno, diz que o importante é a transparência. Só da “boca pra fora”?

Tá com medo de que?

A confusão que aconteceu na noite de ontem, na câmara de vereadores de Cabo Frio, envolvendo o vereador Vanderlei Bento, sua mãe e o vereador Guilherme Moreira acabou por esconder o que de mais grave aconteceu, que é o que realmente interessa naquela sessão. Os vereadores negaram por 11 X 4 o acesso aos contratos emergenciais realizados pela prefeitura após o decreto de “calamidade financeira” determinado pelo prefeito Marquinho Mendes (PMDB). Se nada existe de errado, por que negar transparência?

Sem folga!

O governo de Marquinho Mendes (PMDB) não vai ser o passeio que muita gente imaginou. As notícias das defecções de José Roberto Rocha e Eduardo Leal devem repercutir na câmara, onde o vereador Rafael Peçanha (PDT), após aprovar auditorias, exige transparência. A continuar assim, o vereador Miguel Alencar (PPS), líder do governo, vai ter muito trabalho.


No responses yet

jan 13 2017

O CAVAQUINHO NO CONTEXTO DA MUSICALIDADE NACIONAL

Published by under Jornalismo

MART

O CAVAQUINHO NO CONTEXTO DA MUSICALIDADE NACIONAL

O Museu de Arte Religiosa e Tradicional e a Secretaria de Cultura de Cabo Frio convidam para a mesa-redonda “O Cavaquinho no Contexto da Musicalidade Nacional”, dia 26 de janeiro às 17 horas, nos Jardins do Convento.
A mesa-redonda irá debater a importância do cavaquinho, da linguagem musical do choro e do ensino instrumental nas escolas, como forma de difusão cultural e social. Participarão do debate os músicos Leonardo Benon, professor da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, de Brasília, e Pedro Cantalice, bacharelando em cavaquinho pela Escola de Música da UFRJ, Egeu Laos, pesquisador de MPB, Manoel Justino, Superintendente da Igualdade Racial,e o Maestro Angelo Budega. A mediação da mesa-redonda estará a cargo do artista e escritor Jiddu Saldanha. Entrada Franca!


No responses yet

jan 13 2017

HOMENAGEM

Published by under Jornalismo

BURRO


No responses yet

jan 13 2017

CADERNO DE BÚZIOS

Published by under Jornalismo

BBB

Turismo de carroça

O prefeito André Granado nomeou Cesar do Troller, secretário de turismo de Búzios. Os empresários do setor estão dizendo que agora o turismo vai voar feito carroça.

Trem da Alegria

Com a decisão da maioria, o presidente da Câmara de Búzios, suspendeu o concurso público do legislativo e aprovou a criação de 110 cargos de confiança na casa.

Manchou a imagem.

A decisão dos vereadores buzianos chocou a opinião pública da península. Divulgada nas redes sociais da internet a imagem de Búzios ficou manchada, justamente no momento em que a sociedade exige transparência.

Concurso público.

A única forma correta e legal de acesso ao serviço público é o concurso, que deve ser reivindicação permanente do movimento sindical, dos movimentos sociais e dos partidos progressistas.

Segurança

A violência tem assustado os moradores de Búzios. Só nessa semana 6 vans foram assaltadas em plena luz do dia, vários roubos de motos e carros, assaltos e arrombamentos de casas.

Educação

Em Búzios, os professores contratados recebem 20% a menos do salário dos concursados. Tem vereador pensando em colocar em pauta a revogação do decreto do prefeito que causa esse disparate.

Negócios

Renato de Jesus, compadre de André Granado foi exonerado do cargo de secretário de finanças. Dizem que vai cuidar dos negócios particulares do prefeito. Vai precisar de muita dedicação!

Briga

Não convide para a mesma mesa as vereadoras Joice Costa (PP) e Gladys (PRB). A vereadora novata partiu para cima e não quer trégua, diz para todo mundo que não está ali para quebrar galho.

CAMARA

Alugueis

Continua dando o que falar a questão dos alugueis da Câmara de Vereadores. Todo presidente do legislativo municipal anuncia, sob a forma de promessa, que vai construir a sede própria. Como é óbvio, a obra nunca saiu e parece difícil sair.


No responses yet

jan 13 2017

CABO FRIO – Antônio José Christovão Pinto.

Published by under Jornalismo

ANTONIO_JOSE_CHRISTOVAO-PINTO


No responses yet

jan 13 2017

RODRIGO REVELLES

Published by under Jornalismo

RODRIGO-REVELLES


No responses yet

jan 13 2017

DO AMOR …..

Published by under Jornalismo

TABULEIRO


No responses yet

jan 13 2017

JANGO E EU – João Vicente Goulart.

Published by under Jornalismo

DICAS VERMELHO

Capa Jango e eu V2 DS.indd

Aos 7 anos, João Vicente, filho de Jango e de Maria Thereza, foi, junto com a irmã Denize, testemunha e vítima das circunstâncias que levaram a família ao exílio. Agora, mais de 50 anos depois, João recupera as memórias de um período turbulento, desde a vida no Uruguai, onde foi alfabetizado, até a idade adulta.

Neste inventário afetivo da família Goulart, o registro histórico se relaciona ao pessoal. A incerteza, a falta de notícias, a difícil adaptação ao cotidiano uruguaio. O terrível momento no qual ficou claro que o golpe era muito mais do que uma quartelada e que duraria décadas. O avanço dos governos totalitários nas Américas. O fim da relativa liberdade com a queda da democracia uruguaia, no início da década de 1970, e a subsequente mudança dos Goulart para a Argentina. Os encontros com Paulo Freire, Glauber Rocha, Juan Domingo Perón, entre outros amigos ilustres de Jango.

Mais do que um livro de memórias escrito pelo filho de João Goulart, este é um valioso registro sobre as consequências da perda das liberdades individuais e um lembrete para ficarmos sempre atentos aos rumos políticos do país, de maneira a assegurar a manutenção da democracia.

 


No responses yet

jan 13 2017

MINHA VIDA MEU AMOR – Dalton Trevisan

Published by under Jornalismo

CRÔNICA E POESIA VERMELHO

dalton_trevisan

MINHA VIDA MEU AMOR

Dalton Trevisan

Olha minha vida meu amor
Há muito não és mais meu
Toda a loucura que fiz
Foi por você
Que nunca me deu valor
Por isso perdeu tua mulher
E teus filhos
Não posso com esta cruz
Acho muito pesada João
Você vem me desgostando
A ponto de me por no hospício
Uma vez conseguiu
Mas duas não
Aqui ô babaca
De tuas negras
Que nem os filhos se interessou
De batizar na igreja
Você só vai no bar do Luís
Outro boteco não achou
Mais perto da tua família
Só me operei que você obrigou
Agora não presto
Já não sirvo na cama?
Quis fazer de mim
A última mulher da rua
Mas não deixei
Por tua causa amor
Eu morro pelada
Abraçada com os dois anjinhos
No fundo do poço
Amor desculpe algum erro
E a falta de vírgula

 


No responses yet

jan 13 2017

NÔMADE ARTES GRÁFICAS

Published by under Jornalismo

NOMADE


No responses yet

jan 13 2017

CINEMA NO JARDIM – MART.

Published by under Jornalismo

CINEMA


No responses yet

jan 13 2017

NOSSA TRIBO – José Correia Baptista.

Published by under Jornalismo

NOSSA-TRIBO


No responses yet

jan 13 2017

TEATRO QUINTAL – A POESIA DO CORPO

Published by under Jornalismo

TEATRO


No responses yet

jan 13 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_2


No responses yet

jan 12 2017

A LUTA ENSINA E ORGANIZA.

Published by under Jornalismo

EDITORIAL_1

A LUTA ENSINA E ORGANIZA.

A imensa rejeição popular ao “governo sereníssimo” dava a impressão, que tudo seria mais fácil e tranquilo para o novo governo, que tomou posse, em 1º de janeiro. Não tem sido exatamente assim. A luta política dos servidores municipais, através de suas representações sindicais, tem gerado o amadurecimento do movimento dos trabalhadores, que não se deixam levar por propostas ilusórias e sem solidez. As negociações tem sido desgastantes, mas, absolutamente fundamentais para que os servidores possam resgatar as condições fundamentais de respeito as suas reivindicações e conquistas.


No responses yet

jan 12 2017

TEATRO QUINTAL – A POESIA DO CORPO

Published by under Jornalismo

TEATRO


No responses yet

jan 12 2017

CINEMA NO JARDIM

Published by under Jornalismo

CINEMA


No responses yet

jan 12 2017

NOSSA TRIBO – José Correia Baptista

Published by under Jornalismo

NOSSA-TRIBO


No responses yet

jan 12 2017

CADERNO DE POLÍTICA

Published by under Jornalismo

POLITICA_5

Dobradinha

Cada vez é mais evidente que a dobradinha Alair/Marquinhos trouxe muitos prejuízos para a cidade, especialmente para os servidores públicos. A dobradinha continua forte: um é “inimigo” do outro e assim vai.

Fidelidade & Passarinho

A escolha das equipes que vão trabalhar no governo “farinha pouca, meu pirão primeiro” obedece exclusivamente a “competência eleitoral”, inclusive com “Teste de Fidelidade”. Semelhante a “prefeitura sereníssima”, que instituiu o teste “Olha o Passarinho”.

A folha pode explodir?

Muita gente ligada ao ex-prefeito Alair Corrêa (PP) e até mesmo José Bonifácio (PDT), que dizia ter ojeriza a Marquinhos Mendes (PMDB) está correndo para o abraço do novo prefeito. Nunca o slogan “farinha pouca, meu pirão primeiro” foi tão verdadeiro. O problema é a folha de pagamentos explodir.

Mantendo os privilégios

As nomeações do “farinha pouca …” mostram como as elites e as famílias tradicionais de Cabo Frio se jogam no colo dos governantes, independente de linhas políticas e ideológicas ou ainda qualquer coisa parecida. O negócio é manter a qualquer custo os privilégios.

Ajudando a “reconstruir”?

A vereadora Alessandra Codeço (PP), foi eleita 2ª secretária da mesa da câmara e pelo jeito, com extrema rapidez passou a fazer parte da bancada governista. O seu marido Teninho, quem diria, trabalhando direto para o governo do “farinha pouca ….”, ajudando a “reconstruir”.

Sem agasalhos para o inverno

Enquanto isso, Eduardo Leal, velho cabo eleitoral e militante de Marquinhos Mendes (PMDB), nomeado subcoordenador de habitação, teria  “pedido o boné” e tirado o time de campo. Outro descontente seria o médico José Roberto Rocha “agasalhado” (o termo usado por Alair), na secretaria municipal de assistência social.

É demais!

Estamos em pleno Verão, mas tudo leva a crer que nesses tempos de mudanças climáticas o Inverno será bastante rigoroso. Em função dessa “dura realidade” os “alairzistas” e os “moloides e preguiçosos” estão aderindo com tanta rapidez ao novo governo de Cabo Frio? Muitos fazem sincero esforço para se revelarem novos colaboradores. É demais!

“Moloides e preguiçosos”, na pista.

Depois de terem sido chamados pelo “sereníssimo” de “moloides e preguiçosos” e não terem pedido demissão, os ex-secretários e assessores de Alair Corrêa (PP) estão na “pista”, buscando emprego. O currículo mostra que são dóceis e obedecem a voz de comando sem reclamar, mas os resultados administrativos são de dar dó.

Como será o amanhã?

Por enquanto o governo de Cabo Frio tem se dedicado a negociação com os sindicatos e a distribuição de generosas benesses através de gordas portarias, contratos, prestação de serviços e outras coisinhas mais. Como será o amanhã? Quem sabe a volta do Café do Trabalhador?

Negócio da China? Não, do Arraial do Cabo.

Lugar onde no máximo cabem 220 automóveis colocam-se 1.800 a 10 reais cada, sem qualquer infra. Assim é o acesso as Prainhas no Pontal do Atalaia, em Arraial do Cabo. É caso de ‘imobilidade urbana’.


One response so far

jan 12 2017

MARCA REGISTRADA DOS PRIMEIROS DIAS DO GOVERNO MARQUINHOS MENDES (PMDB).

Published by under Jornalismo

BAJULACAO


No responses yet

jan 12 2017

NO PAÍS DO FUTEBOL – Carlos Eduardo Novaes.

Published by under Jornalismo

CRÔNICA E POESIA VERMELHO

C

NO PAÍS DO FUTEBOL

Carlos Eduardo Novaes

 

Juvenal Ouriço aproximou-se de um vendedor parado à porta de uma loja de eletrodomésticos e perguntou:

– Qual desses oito televisores os senhores vão ligar na hora do jogo?

– Qualquer um – disse o vendedor desinteressado.

– Qualquer um não. Eu cheguei com duas horas de antecedência e mereço uma certa consideração.

– Para que o senhor quer saber?

– Para já ir tomando posição diante dele.

O vendedor apontou para um aparelho. Juvenal observou os ângulos, pegou a almofada que o acompanhava ao Maracanã e sentou-se no meio da calçada.

– Ei, psiu – chamou-o um mendigo recostado na parede da loja – como é que é, meu irmão?

– Quer me botar na miséria? Esse ponto aqui é meu.

– Eu não vou pedir esmola.

– Então senta aqui ao meu lado.

– Aí não vai dar para eu ver o jogo.

– Na hora do jogo nós vamos lá pra casa.

– Você tem TV em cores?

– Claro. Você acha que eu fico me matando aqui pra quê?

Juvenal agradeceu. Disse que preferia ficar na loja, onde tinha marcado encontro com uns amigos que não via desde a final da Copa de 90.

Aos poucos o público foi aumentando, operários, vendedores, contínuos, vagabundos, e às 15h e 45min já não havia mais lugar diante das lojas de eletrodomésticos, os retardatários corriam de uma para a outra à procura de uma brecha. Alguns ficavam pulando atrás da multidão tentando enxergar a tela do aparelho.

As lojas concentravam multidões. As calçadas da cidade, que já são poucas, desapareciam completamente. Em jogos da Seleção Brasileira, durante a semana, cresce bastante o número de atropelamentos porque o pedestre é obrigado a circular pelas ruas. Além disso, os motoristas ficam muito mais ligados no rádio do que no trânsito.

Na porta da loja onde estava Juvenal havia umas 200 pessoas do lado de fora e somente uma do lado de dentro: o gerente. Até os vendedores da loja já tinham se bandeado afirmando que assistir a um jogo atrás da televisão não é a mesma coisa que vê-lo atrás do gol. Quando a bola saía entravam os comentários dos torcedores.

No início do segundo tempo um cidadão que não se interessava por futebol ( um dos 18 que a cidade abriga ) foi pedindo licença à galera e que muita dificuldade conseguiu entrar na loja. O gerente foi ao seu encontro: “O senhor deseja algo?”

– Um aparelho de televisão.

– Por que o senhor não leva aquele?

– Qual?

– Aquele que está ligado ali na porta.

– É bom?

– O senhor ainda pergunta? Acha que haveria 200 pessoas diante dele se não tivesse uma boa imagem?

– Bem…

– E não é só isso – completou o gerente aproveitando a euforia do público com um gol do Brasil – que outro aparelho transmite emoções tão fortes?

O cidadão convenceu-se. Disse que ia levá-lo. O gerente, precavido, pediu-lhe para ir à porta da loja apanhá-lo. O cidadão não teve dúvidas. Ignorando aquela massa toda diante do seu aparelho, foi lá tranquilamente e cleck. Desligou-o.

O que aconteceu depois eu deixo por conta da imaginação de vocês.


No responses yet

jan 12 2017

A CRISE NOS PRESÍDIOS

Published by under Jornalismo

CRISE


No responses yet

jan 12 2017

DÍZIMO

Published by under Jornalismo

DIZIMO


No responses yet

jan 12 2017

RODRIGO REVELLES – ANIVERSÁRIO – 7 DE FEVEREIRO

Published by under Jornalismo

RODRIGO-REVELLES


No responses yet

jan 12 2017

SÃO PEDRO DA ALDEIA – Otávio Rascão.

Published by under Jornalismo

OTAVIO-RASCAO


No responses yet

jan 12 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_2


No responses yet

Next »