abr 21 2018

NOTÍCIAS

Published by under Jornalismo

NOTICIAS

DEUS NOS ACUDA!

Caso aconteça a eleição suplementar dificilmente o governo do MDB vai coeso para o pleito. Como a oposição também não vai, será um “Deus nos acuda”.

PESQUISAS

Os “institutos de pesquisa”, em função da fragmentação política, estão tendo dificuldades para medir os índices dos possíveis candidatos a prefeito de Cabo Frio.

SEM DEFINIÇÃO.

O PSOL ainda não definiu sua política eleitoral caso aconteça à eleição suplementar, em 2018. Entretanto, alguns nomes como o de Júlia Turrini, Beto Júnior e Rogério Carvalho, têm sido ventilados.

DIVERGÊNCIAS.

As divergências públicas entre Carlos Ernesto (Carlão), o secretário de cultura Ricardo Machado (Chopinho) e o cineasta/documentarista Lucas Müller ultrapassaram os limites da civilidade. Assim não dá!

DIA AGITADO!

JANIO-PLENARIO

Após dar entrevista no Programa Sidnei Marinho, na Litoral News, Janio Mendes (PDT) foi a São Pedro da Aldeia para encontro com o prefeito Cláudio Chumbinho (MDB). O deputado trabalhista não quis revelar o restante de sua agenda na tarde/noite de ontem. Encontro marcado?

PREDADORES.

A elite inculta cabofriense não tem o menor interesse em preservar a memória dos trabalhadores do sal. Os membros dessa elite são os verdadeiros predadores da memória popular.

PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA.

A manutenção dos galpões de sal, na Passagem e a criação do Arquivo Público Municipal podem ser os primeiros passos para a preservação de uma memória cabofriense.

AGONIA!

FOLHA-DOS-LAGOS

A Folha dos Lagos chamou de “agonia” o adiamento para 24 de abril da reunião do TSE, que deve ser votado processo, que pode afastar Marquinhos Mendes (MDB) do cargo de prefeito de Cabo Frio. Com efeito, a instabilidade político/jurídica e administrativa prejudica muito a cidade.


No responses yet

abr 21 2018

‘UM NOVO OLHAR SOBRE TEIXEIRA E SOUZA’ – Rose Fernandes.

Published by under Jornalismo

DICAS VERDE ÁGUA

LIVRO

ROSE-6

Rose Fernandes.


No responses yet

abr 21 2018

CHARGES

Published by under Jornalismo

CHARGES VERDE ÁGUA

CHARGE-00000

CHARGE-0000


No responses yet

abr 21 2018

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO-1


No responses yet

abr 20 2018

TRABALHADORES DO SAL

Published by under Jornalismo

SAL-3

Ricardo Hantzschel 

SAL-1

Wolney Teixeira

SAL-2

Wolney Teixeira

TRABALHADORES DO SAL

O prédio do sindicato dos estivadores foi demolido, o sindicato dos arrumadores (antiga Resistência) já era e agora querem derrubar os galpões do sal, na Passagem. A defesa dos galpões é essencial no processo de defesa da memória dos trabalhadores do sal, em Cabo Frio. O professor João Christovão fez, na noite de quinta-feira, na Casa Scliar, brilhante palestra, na qual procurou resgatar parte dessa história.

PARQUE PÚBLICO

Está em jogo a memória coletiva dos trabalhadores do sal, em Cabo Frio, mas também a privatização de toda a orla do Canal do Itajuru. A área onde estão os galpões de sal é valorizadíssima e a especulação imobiliária está de “olho gordo”. A luta é também por um parque público, que pode abranger também a área do Lido, que pertence ao estado.

 


No responses yet

abr 20 2018

JULGAMENTO ADIADO.

Published by under Jornalismo

RIVOTRIL

A novela continua: o processo do prefeito de Cabo Frio, Marquinhos Mendes (MDB) só será julgado pelo TSE, no dia 24, terça-feira. Quem ganha com mais este adiamento? Os advogados, que adoram um caso como esse e os proprietários de farmácias e drogarias da cidade, que vão vender todo o estoque de tranquilizantes, que possam ter nas prateleiras.


No responses yet

abr 20 2018

ALAIRZISMO CHOROSO.

Published by under Jornalismo

ALAIR-BICUDO

O adiamento deixa ainda mais chorosa à turma do “alairzismo, sem alair”, nas redes sociais da Internet. O grupo tem andorinhas esvoaçantes, sabiás de alta e gorda plumagem, pavões e algumas cambaxirras, que não sabem direito o que estão fazendo no ninho. Tem gente que nega que um dia conheceu Alair Corrêa (PRP): “durma-se com um barulho desses.”

 


No responses yet

abr 20 2018

A MÚSICA DE PIXINGUINHA E O APANHEI-TE CAVAQUINHO.

Published by under Jornalismo

MENINOS

Os meninos na orla da Praia doi Forte.

MENINOS-2

Os meninos e o Maestro Bodega, no Restaurante Papone, no centro da cidade.

MENINOS-3

Os meninos do ‘Apanhei-te Cavaquinho’.

MENINOS-4

Os meninos Erik, Júlio e João Miguel, o Maestro Bodega encontram o escritor e poeta cabo-friense Célio Guimarães.

MENINOS-6

O Maestro Bodega, meninos (Erik, Júlio e João Miguel) e mães (Aline e Fernanda) do Projeto Apanhei-te Cavaquinho, percorreram as ruas do centro de Cabo Frio, tocando as peças musicais do grande Pixinguinha. O projeto é uma das boas coisas que acontece na cidade e não conta com o apoio oficial.

 


No responses yet

abr 20 2018

REPÚDIO A CENSURA

Published by under Jornalismo

TEATROATILACOSTA

Vereadores, pastores e até mesmo uma associação de militares evangélicos tenta barrar a apresentação de evento no Teatro Municipal de São Pedro da Aldeia. Essa turma não respeita o Estado Laico e quer instalar censura religiosa, estabelecendo o que pode ou não ser visto, ouvido e lido pela população. Esse pessoal, que afronta a liberdade de expressão e a democracia tem que ser processado e preso.

 

 

 


No responses yet

abr 20 2018

VAMPIROS!

Published by under Jornalismo

JESUS

Quem essa turma de fanáticos religiosos pensa que é? Quem são eles para impor seus costumes e ideias retrógradas à população? Quase todos enriquecem e a população que manipulam diariamente está a cada dia mais pobre, desprovida de qualquer bem. São vampiros!

 


No responses yet

abr 20 2018

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO-1


No responses yet

abr 19 2018

NERVOS A FLOR DA PELE.

Published by under Jornalismo

NERVOS

Hoje, a partir das 9 horas, acontece à sessão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que deve se debruçar e julgar o processo, que pode resultar na cassação do mandato do prefeito de Cabo Frio, Marquinhos Mendes (MDB). Os nervos estão à flor da pele na cidade, tanto no campo do governo, quanto na oposição.


One response so far

abr 19 2018

MELHOR QUE NADA!

Published by under Jornalismo

giphy

Muita gente com cargos comissionados (portarias), na prefeitura de Cabo Frio, não deve ter dormido na noite de ontem. Prestação do carro, a mensalidade da escola privada e outros tantos adereços e badulaques estão em jogo. Mesmo com dificuldades para receber salários, a prefeitura é melhor que nada para quem tem medo de enfrentar o mercado de trabalho.


No responses yet

abr 19 2018

CASA SCLIAR: BELO DEBATE.

Published by under Jornalismo

SCLIUAR2

Foi muito bom o nível do encontro realizado na noite de ontem, na Casa Scliar. Os palestrantes, professores João Christovão e Walter Luiz Pereira focaram na questão da indústria salineira e nos portos e contaram com grande participação dos presentes, que lotaram a sala onde foi realizado o debate.

CASA-SCLIAR-1


No responses yet

abr 19 2018

FROUXOS & CÚMPLICES

Published by under Jornalismo

FROUXOS

A política brasileira anda tão fuleira, que os políticos fazem qualquer coisa para arrumar votos. Dentro dessa perspectiva se encolhem em sua frouxidão e não se manifestam diante de evangélicos fascistas, que tentam reprimir outras manifestações religiosas, principalmente aquelas ligadas a cultura afro-brasileira. Em São Pedro da Aldeia vereadores e associações evangélicas estão tendo a absurda pretensão de proibir peça teatral no município. Já passaram de qualquer limite. É preciso reagir!

 


No responses yet

abr 19 2018

TROPICAL MELANCOLIA -Davi Souza

Published by under Jornalismo

ARTIGO VERDE ÁGUA

DAVI_SOUZA_1

Davi Souza.

Sonho. Desespero. Aflição. Cabo Frio desde 1997 vive sua tropical melancolia. A cidade que se encheu de esperança, otimismo e sonhos viu o tempo passar e junto com ele sua autoestima e esperança.

O município mais importante da Região dos Lagos vive o drama de não conseguir pagar suas contas mais básicas. São vinte e um anos de bonança, o “milagre econômico” à lá restinga. Nesse período foram somados aproximadamente sete bilhões de reais em receitas provenientes de royalties (dados ANP). Porém, a cidade não avançou, não se desenvolveu efetivamente.

Até hoje Cabo Frio não tem seu Centro de Convenções, ainda encontramos bairros inteiros sem saneamento em Tamoios, ruas esburacadas, servidores com salários atrasados e nenhum esforço se quer na criação de um condomínio industrial. É melancólico, pois o município não é referência em nada, não somos referência na saúde pública, muito menos na educação, tão pouco na geração de emprego e renda.

Torna-se totalmente inadmissível falar em crise. Segundo levantamento recente do jornal O Globo, a cidade recebeu no ano de 2017 mais de R$ 122 milhões de reais, sendo a 6°maior arrecadadora do estado. Já o Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (IOEB) avaliou nesse mesmo ano uma nota de 4,1 para o nosso município, bem abaixo da média estadual que foi 4,5. Habilmente a cidade de Sobral no interior do Ceará, nordeste brasileiro, ficou em 1° lugar com nota 6,2

Deixando bem claro que os problemas vividos por nós são provenientes de administrações ruins, irresponsáveis, inábeis e imutáveis. É fundamental renovar as esperanças e criar uma nova visão, por meio do questionamento, da reflexão e da ação. Estamos em uma semana decisiva para a nossa cidade e temos que ter a clareza de que é hora de alternância.


No responses yet

abr 19 2018

ACIASPA

Published by under Jornalismo

IVA-1


No responses yet

abr 19 2018

IMENSIDÃO – KÉREN HAPUK – MÚSICA NO CONVENTO.

Published by under Jornalismo

IMENSIDAO


No responses yet

abr 19 2018

CHARGES

Published by under Jornalismo

CHARGES VERDE ÁGUA

CHARGE-000

CHARGE-001


No responses yet

abr 19 2018

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO-1


No responses yet

abr 18 2018

SOBE A TENSÃO!

Published by under Jornalismo

PANELA

Para alguns os termômetros vão explodir. Para outros, a panela de pressão está no limite. A verdade é que os políticos de Cabo Frio estão no maior estresse, na medida em que a quinta-feira se aproxima e o TSE vai julgar o processo do prefeito Marquinhos Mendes (MDB).


No responses yet

abr 18 2018

SAI OU NÃO SAI A APOSENTADORIA?

Published by under Jornalismo

CARLOS_MAGNO_5

Carlos Magno, que atua no processo do prefeito Marquinhos Mendes (MDB), não se dá por vencido, apesar do “Efeito Barroso” conspirar contra a causa que defende. O experiente advogado (defendeu também o ex-prefeito Alair Corrêa) garante que vai sair vitorioso. Perdendo ou ganhando será que vai mesmo se aposentar?


No responses yet

abr 18 2018

JANIO, DOBRADINHA COM MIRINHO?

Published by under Jornalismo

JANIO-MIRINHO

Mirinho Braga, Rui França e Janio Mendes, em solenidade no Tamoyo Esporte Clube quando o Coronel Rui França era o comandante do 25º BPM.

Janio Mendes (PDT) candidato a reeleição para a Assembleia Legislativa ainda não definiu com quem vai fazer a dobradinha, na Região dos Lagos. Inicialmente foi cogitado o nome do ex-prefeito de Cabo Frio, José Bonifácio, mas as conversas se aprofundaram com Mirinho Braga, ex-prefeito de Búzios.

 


No responses yet

abr 18 2018

FALTA ACORDO POLÍTICO?

Published by under Jornalismo

AQUILES_BARRETO_01

Nos bares e cafés da cidade há quem diga que o vereador Aquiles Barreto (PRB), atual presidente da câmara municipal de Cabo Frio, não será candidato a prefeito em eleição suplementar e muito menos a Assembleia Legislativa. O político entraria em processo de hibernação.


One response so far

abr 18 2018

ONDE ESTÁ MARIAZINHA?

Published by under Jornalismo

ALAIR-PERUCA-CARNAVAL

Quem lembra da última campanha de Alair Corrêa (PRP) para prefeito? Na ocasião, em “filmetes” para os programas eleitorais o então candidato prometia construir 10 mil casas e 40 mil banheiros e ainda mostrava uma família sacudindo um saco de cocô frente às câmeras. Onde está esse pessoal, que bolou campanha tão baixo nível?


No responses yet

abr 18 2018

SEM SURPRESAS.

Published by under Jornalismo

silas bolsonaro

Nenhuma surpresa em razão de Silas Bento estar apoiando Jair Bolsonaro. Afinal, na última eleição para deputado Silas fez dobradinha nada mais nada menos que Eduardo Cunha.

SILAS-CUNHA

Na época o então todo poderoso cacique do PMDB anunciava, que mandava na república. Hoje, veste um pijama listrado em alguma cela de presídio em Curitiba.


No responses yet

abr 18 2018

CONTINUAM CALADOS

Published by under Jornalismo

POLUICAO_NO_ARRAIAL

A internet está povoada de fotos com a poluição no Arraial do Cabo, provocada por falta de tratamento decente do esgoto. Os ambientalistas oficiais, em Arraial e Cabo Frio, que até fizeram campanha para a Prolagos assumir o esgotamento sanitário no município nada falam. O que terá acontecido com as cordas vocais dessa turma?


No responses yet

abr 18 2018

MÚSICA NO CONVENTO – IMENSIDÃO – KÉREN HAPUK

Published by under Jornalismo

IMENSIDAO


No responses yet

abr 18 2018

HISTÓRIA DAS COISAS – Silvana Lima.

Published by under Jornalismo

CRÔNICA E POESIA VERDE ÁGUA

SILVANA_LIMA_5

Silvana Lima.

Tenho visto ultimamente uma onda social pelo desapego. Já li vários artigos, ouvi a recomendação de algumas pessoas e já até olhei sites que até ensinam a pessoa a aprender a jogar coisas fora para cada vez mais ficarem com menos coisas. Acho a iniciativa bonita, até me comovo com as matérias, faço pequenos ensaios de vasculhar a casa para encontrar coisinhas que possam ser passadas para outras pessoas ou mesmo que possam ir pro lixo. Mas… confesso que tenho certa dificuldade e que isso, o desapego,  ainda não me é confortável. Dói.

Então, vi diante de mim duas alternativas: a primeira seria encarar a dor e ir ao encontro do desapego me desvencilhando aqui e ali de coisinhas que guardei por uma vida; e, a segunda: simplesmente assumir que sou sim, apegada, não ter vergonha ou culpa de estar indo na contramão da corrente que se instalou e pagar o ônus que isso me acarretaria.

Optei pela segunda alternativa.

Sou apegada sim, prazer! Gosto das coisas que tenho porque  gosto de guardar coisas que tem histórias.

Meus pequenos objetos não são de luxo. Não valem uma fortuna. Meus pequenos objetos são coisinhas carregadas de afeto pelos quais tenho muito carinho e apreço. Quando os olho, vejo neles a identidade das pessoas que me ofertaram, num dado momento da minha vida, e lembro delas e lembro das situações que as envolveram, e lembro assim da minha vida passando. Essas coisinhas (pedrinhas, bonequinhas, livros, quadros, bibelôs, pedras, recadinhos) não falam, mas me dizem tanto!

Tenho em casa ferro de passar (a carvão) que me conta como minha avó passava as tardes na roça, uma penca de filhos brincando, um bebê pendurado em seu peito, negros cabelos imensos da minha avó.

Tenho em casa a eletrola cansada, que pus  no canto da sala, pés palitos, megafone, agulha. Ela  olha os vinis a postos, imperiosa, como se fosse mãe deles, sosseguem aí, meninos, já cantaram bastante pela vida. E eles, os vinis, obedecem. E eles assim, arrumados em fileiras, ainda que mudos, me falam tanto! Mas as pessoas me  perguntam para que tenho vinis se posso ter mil músicas num pen drive. Dizem pra eu doar, vender, desapegar.

E penso.

O pen drive não me faz ouvir cada música como se uma delas fosse acabar a qualquer momento. O vinil me faz. Porque são apenas doze. E me faz  levantar de onde estou e cumprir o delicioso ritual de virá-lo para então ouvir de novo mais doze músicas. E isso gera em mim um agrado, uma amenidade, uma delicadeza que não teria nem se ouvisse as mil músicas do pen drive.

Como desapegar deles?

Tenho um gravador de vozes que outrora era a novidade mais fantástica deste mundo . Ele me faz lembrar de uma das épocas mais felizes da minha infância quando uma amiga chegava do Rio de Janeiro para passar as férias numa casa do lado da minha, ali em São Cristóvão, trazendo essa pequena engenhoca. Era Flávia o nome dela. E o amor que sinto por aquelas tardes gravando músicas, conversas e risadaria, o amor que sinto  pela Flávia, pela minha felicidade de criança, por aquela pequena casa na antiga rua Austrália, nossa, este amor está todo no pequeno objeto vermelho que tenho na minha casa.

Como desapegar dele?

Tenho um aquecedor portátil, presente do filho ainda quase menino que sabia como a mãe era apaixonada pela história das coisas;  telefones de modelos diferentes, que documentaram conversas as mais diversas. Declarações de amor, quantos prantos de mães saudosas? Quantas conversas confidenciais? Homens tristes falaram neles. Namoradas desesperadas, madames dando ordens, chefes de empresas em encontros furtivos, domésticas, meninos e meninas…

Como desapegar deles?

Ila, a amiga querida, trouxe-me livrinhos de histórias, pequenas raridades da década de 60. Trouxe-me também dois volumes de Caldas Aulete, meu deleite.  As páginas quase despencam das minhas mãos, o que faz com que amigas e amigos novamente me questionam que estão velhos demais… que as histórias são caretas, que não se escreve mais desta forma… e eu fico ali, com eles nas mãos para, no fim, recolocá-los todos lindamente na minha estante. Carregam não só as histórias que trazem em suas páginas, mas as histórias deles próprios, simplesmente por existirem e já terem sidos manuseados e lidos por tanta gente.

Como desapegar deles?

Uma lamparina, mas para que uma lamparina?  Poucos vão entender sobre essa lamparina  gasta que iluminou o parto da minha avó. Que acendeu para minhas tias lerem pequenos bilhetinhos que os rapazes colocavam na cerca da casa, essa lamparina  de chama turva, que deixa as narinas pretas, para que tê-la em casa? Para me iluminar, respondo. Como desapegar deles? – respondo.

Os pés da máquina Singer, primeiro modelo, seguram minha mesa, onde escrevo agora. Eles me contam histórias e me inspiram. A parte de cima dela,  pequeno enfeite que agora é ornado com flores, fica ali conversando comigo. Sempre conversamos. Nossa costura é o afeto que nos liga, sem medidas. Sou filha de mão costureira, o barulho da máquina me é familiar e me leva a histórias pessoais apaixonantes. Sinto-me segura com ela perto de mim, parece que a pequena distância entre nós (ela em cima de um móvel e eu andando pela casa), essa pequena distância é carregada  com toda minha história . Ela me diz quem fui, quem sou e me ajuda a caminhar.  Não, não posso. Não sei. Não consigo desapegar.

Sim, sou apegada a coisas, a coisinhas. Julguem-me! Estou pronta!


No responses yet

abr 18 2018

REVISTA ‘NOSSA TRIBO’ – José Correia Baptista.

Published by under Jornalismo

NOSSA-TRIBO


No responses yet

abr 18 2018

O PAPEL DAS ÁREAS VERDES NAS CIDADES -Mario Flavio Moreira.

Published by under Jornalismo

ARTIGO VERDE ÁGUA

MARIO_FLAVIO_MOREIRA_6

Mario Flavio Moreira (*)

A manutenção das áreas verdes urbanas sempre foi justificada pelo seu potencial em propiciar qualidade ambiental à população. Ela interfere diretamente na qualidade de vida dos seres por meio das funções sociais, ecológicas, estéticas e educativas, que elas exercem para amenização das consequências negativas da urbanização. A falta de arborização, por exemplo, pode trazer desconforto térmico e possíveis alterações no microclima, e como essas áreas também assumem papel de lazer e recreação da população, a falta desses espaços interfere na qualidade de vida desta. Diversos autores citam vários benefícios que as áreas verdes podem trazer ao convívio nas cidades, como: controle da poluição do ar e acústica, aumento do conforto ambiental, estabilização de superfícies por meio da fixação do solo pelas raízes das plantas, interceptação das águas da chuva no subsolo reduzindo o escoamento superficial, abrigo à fauna, equilíbrio do índice de umidade no ar, proteção das nascentes e dos mananciais, organização e composição de espaços no desenvolvimento das atividades humanas, valorização visual e ornamental do ambiente, recreação, diversificação da paisagem construída. A vegetação tem efeitos diretos sobre a saúde mental e física da população. Oliveira (1996) salienta ainda que estes efeitos contribuem para a valorização de áreas para convívio social, valorização econômica das propriedades e para a formação de uma memória e do patrimônio cultural. Entendo que como indicador de qualidade ambiental as áreas verdes precisam ser consideradas ainda conforme sua distribuição e dimensão espacial para que o planejamento urbano e ambiental supra as necessidades da sociedade e não apenas seja conduzido à valorização e preservação da vegetação no meio urbano por uma questão meramente preservacionista, uma vez que a população urbana depende para o seu bem estar, não só de educação, cultura, equipamentos públicos, mas também de um ambiente com qualidade, e a vegetação quando presente interfere positivamente na qualidade de vida dos habitantes da cidade. Observo que os problemas relacionados ao meio ambiente têm sido observados com mais intensidade nas cidades, portanto, os estudos relacionados com a qualidade do ambiente urbano podem contribuir para melhorar o planejamento a partir da geração de políticas capazes de tornar o uso e a ocupação do solo nas cidades menos impactantes ao meio ambiente, e melhorar a qualidade de vida da população, que necessita de um ambiente ecologicamente equilibrado.

PARQUE

Essa foto mostra exemplo de área verde num bairro de Goiânia.

A questão ambiental se agrava e ganha importância cada vez mais à medida que as cidades se expandem e se apropriam demasiadamente dos recursos naturais, como o caso das cidades da Região dos Lagos, e a consequência disso tem sido a transformação do espaço natural, como podemos observar em Cabo Frio nas ultimas décadas. Por falta de uma Politica Púbica por parte dos nossos gestores, que ao invés de promover o ordenamento do solo, fomentam a ocupação para a construção das cidades e/ou sua expansão, levando a alteração do meio natural através da retirada da cobertura vegetal para construir estradas, casas e equipamentos públicos sem planejar os espaços que estão sendo alterados. Muitas vezes observo que os Poderes Públicos Municipais têm “legalizado” construções em locais inapropriados, visando somente arrecadação de IPTU e essas construções não obedecem à drenagem natural das águas relacionadas às declividades dos terrenos podendo ocasionar enchentes, deslizamentos e outros danos que prejudicam a população residente nesses locais. As questões relacionadas à utilização do termo áreas verdes merece destaque nos debates atuais, principalmente quando se discute a revisão do Plano Diretor Urbano do Município, pois o uso indistinto deste termo para designar a presença de vegetação no ambiente urbano pode induzir a uma interpretação e utilização incorreta destas áreas nas cidades.

(*) Biólogo e Consultor Ambiental.

P.S. Se a Prefeitura de Cabo Frio ao invés de fomentar Shopping nas Palmeiras tivesse criado ali um parque como esse, o ambiente seria sem dúvida muito melhor.


No responses yet

abr 18 2018

CHARGES

Published by under Jornalismo

CHARGES VERDE ÁGUA

CHARGE

CHARGE-TERCA1

CHARGE-TERCA2

CHARGE-TERCA-3


No responses yet

abr 18 2018

SAL – Trabalho, Memória Social e Território.

Published by under Jornalismo

SAL


No responses yet

abr 18 2018

‘IMPRESSÕES CASCUDAS’ – Fábio Emecê

Published by under Jornalismo

DICAS VERDE ÁGUA

IMPRESSOES-CASCUDAS

FABIO_EMECE_3

Fábio Emecê


No responses yet

abr 18 2018

PARA VOCÊ MOTORISTA – É LEI !

Published by under Jornalismo

BICICLETA


No responses yet

abr 18 2018

ACIASPA FESTEJA O DIA NACIONAL DA MULHER.

Published by under Jornalismo

IVA-1

Café da manhã gratuito com palestra, apresentação de case de sucesso e muito networking no II Encontro da Mulher Empreendedora em São Pedro da Aldeia. O II Encontro da Mulher Empreendedora, realizado pela Liderança Feminina, será no dia 26 de abril, às 9 da manhã, na sede da instituição. Na programação o caso de sucesso do Grupo Mulheres de Negócios de C. Frio, que lançou em fevereiro o “passaporte para as compras”. Na ocasião, a Neurocoach Andrea Menezes falará sobre “Neurovendas” para mostrar como funciona a mente no momento da decisão de compra. Para participar , mais informações: ACIASPA – Associação Comercial e Industrial de São Pedro da Aldeia, Rua Glória Lobo, 360, Centro. Telefone: (22) 2627-2722. Email: cdlspa1@gmail.com. Whatsapp: 22 99726-1301. Facebook: @aciaspacdl.

 

 


No responses yet

abr 18 2018

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO-4


No responses yet

abr 17 2018

SAL: trabalho, memória social e território.

Published by under Jornalismo

SAL


No responses yet

abr 17 2018

TERMÔMETROS SUBINDO

Published by under Jornalismo

TERMOMETRO

A temperatura política cresce e os termômetros estão a beira da explosão em Cabo Frio. Na quinta, será julgado no TSE o processo que pode cassar o mandato do prefeito Marquinhos Mendes (MDB). O processo nasceu de uma ação do advogado Vitor Martim de relação política estreita com o deputado Janio Mendes (PDT).


No responses yet

abr 17 2018

TCHAU! TCHAU! TCHAU!

Published by under Jornalismo

ALAIR_MARQUINHO

Na tentativa desesperada de manter a política cabofriense entre ele e Marquinhos, Alair mira no prefeito. A polarização interessa aos dois e dura 22 anos, mas ambos não perceberam o esgotamento desse processo político e que muito pouca gente no município acredita nos dois. A população não aguenta mais e quer a mudança do cenário político.


No responses yet

abr 17 2018

OLHA O VISGO!

Published by under Jornalismo

CLAUDIO_LEITAO_1  ADRIANO_MORENO_7

As andorinhas e sabiás de alta e volumosa plumagem e até cambaxirras não desgrudam de Cláudio Leitão, o ex-presidente do PSOL de Cabo Frio. Leitão foi um dos debatedores do evento realizado na noite de ontem, no “Rui Barbosa”, sobre os golpes de 1964 e 2016. Leitão pode dar ao ex-vereador Adriano Moreno o “verniz” necessário para disputar a eleição suplementar, no campo do vereador Rafael Peçanha (PDT).


No responses yet

abr 17 2018

DE CABEÇA PRA BAIXO.

Published by under Jornalismo

LUIS_GERALDO_5

O vereador Luís Geraldo (PRB) vai assumir a presidência da câmara, sob o manto da Igreja Universal do Reino de Deus (Bispos Edir Macedo e Marcelo Crivella), embora de tradicional família católica: o mundo anda mesmo de cabeça para baixo.

 


One response so far

abr 17 2018

ESCONDIDOS COMO AVESTRUZ.

Published by under Jornalismo

avestruz

A situação de Arraial do Cabo envergonha seus moradores e a indústria turística. O governo municipal parece um avestruz escondendo a cara na areia. Vale uma pergunta: onde estão os ambientalistas de Arraial do Cabo e Cabo Frio? Estão escondidos nos seu gordos salários dos cargos comissionados (portarias).


No responses yet

abr 17 2018

‘DA SELVA A UTOPIA’

Published by under Jornalismo

JOSE_CORREIA_3

O jornalista e sociólogo, José Correia Baptista, que produziu jornais como ‘Aqui’ e ‘Canal’, que fizeram história em Cabo Frio prepara o ensaio ‘Da selva a utopia’. José Correia, que ocupou o cargo de secretário de cultura, no governo anterior de Marquinhos Mendes (MDB), tem outras obras publicadas e no momento se ocupa na criação do Arquivo Público Municipal.


No responses yet

abr 17 2018

CONCENTRAÇÃO DE PORTARIADOS

Published by under Jornalismo

SUISSO

A Confeitaria Suisso, na Avenida Nossa Senhora da Assunção, reúne a presença do maior número de cargos comissionados (portariados) por m2 em Cabo Frio. A confeitaria fica ao lado da Praça Tiradentes onde está localizada a prefeitura governada pelo MDB.


2 responses so far

Next »