abr 25 2017

EDITORIAL – SALETA DE ALUGUEL

Published by under Jornalismo

EDITORIAL_VERMELHO

BIBLIOTECA

A situação constrangedora em que se encontra a Biblioteca Pública Municipal Walter Nogueira é a cara dos governos de Alair Corrêa e Marquinhos Mendes: gente que não gosta de educação e não preza a cultura.

No governo de Alair, sob a alegação de uma restauração, que só saiu ao final do governo e “Deus sabe como”, a biblioteca foi empurrada para fora do prédio, que foi comprado para ela ter abrigo definitivo: a biblioteca foi parar em salas de aluguel na Avenida Júlia Kubitschek. Como os alugueis não foram pagos, a única biblioteca pública do município, montada com amor e sacrifício, foi despejada sob os olhares pasmos da sociedade.

Por último, no governo de Marquinhos, alugou-se outra saleta, na Avenida América Central, em São Cristovão, que mal cabe 10% do acervo acumulado, através de doações, ao longo dos anos. Quem pode afirmar onde está o restante do acervo? Está sendo protegido e tratado? Existe pessoal qualificado?

O apreço da dupla Alair/Marquinhos pela cultura pode ser medido pela diferença de espaço e tratamento que dão ao Museu do Surf e a Biblioteca Municipal Walter Nogueira.


No responses yet

abr 25 2017

LAS VEGAS OU NEW YORK?

Published by under Jornalismo

NOTICIAS

Las Vegas ou New York

Apesar dos “contratos emergenciais”, sem licitação pública, alardeados pelo prefeito do PMDB, de Jorge Picciani, as ruas de Cabo Frio continuam um breu, escuras mesmo, aumentando a sensação de insegurança da população, em diferentes bairros da cidade. O prefeito, em recente entrevista falou que a empresa contratada (nunca diz de quem é) já trocou cerca de 4 mil lâmpadas. A acreditar nesta observação, podemos concluir que Cabo Frio está mais para Las Vegas ou mesmo para New York.

Cabo Frio recebeu chuva de meteoros?

Os motoristas, que transitam pelas ruas de Cabo Frio até o momento não viram nenhuma mudança efetiva nas esburacadas ruas da cidade. O solo lunar, herdado do governo do “cumpadre” Alair Corrêa (PP), continua mais firme que nunca, ou seja, buracos em quantidade absurda, parecendo que Cabo Frio recebeu chuva de meteoros. Até o momento as empresas contratadas via os famosos “contratos emergenciais” não disseram a que vieram.


No responses yet

abr 25 2017

TIA ZUZU

Published by under Jornalismo

ZUZU

01 – O “silêncio obsequioso” começa a tomar conta da câmara de vereadores de Cabo Frio. Existem “barulhos” mais silenciosos que o próprio silêncio. Não é?

MARIO_FLAVIO_MOREIRA_4

02 – Segundo o biólogo e consultor ambiental Mário Flávio Moreira, o ICMS Verde pode ser utilizado para a construção da rede separadora. O que a Prolagos e a coordenadoria do meio ambiente tem a dizer sobre o assunto?

03 - A continuação do despejo “in natura”, em pleno Canal do Itajuru, na cara das autoridades municipais e dos cidadãos contribuintes é inaceitável. Qual a posição da prefeitura e dos órgãos vinculados ao meio ambiente em Cabo Frio?

 04 – O ordenamento da Ilha do Japonês e cercanias está sendo realizado pela secretaria de turismo ou pela coordenadoria do meio ambiente? Nesse caso, cabe uma pergunta: com quem fica o “cascalho” gerado pelos estacionamentos públicos?

05 - Alguém na prefeitura de Cabo Frio pode informar porque a grana gerada pelos estacionamentos públicos não é repassada para as entidades filantrópicas, com sede no município, como manda a Lei?

06 – Pelo jeito os comerciantes da confluência da Avenida 13 de Novembro, com Rua Meira Júnior não deram a menor bola para a fiscalização da prefeitura de Cabo Frio. No fim da semana passada o funk fechou a rua de madrugada. Os moradores que se danem?

07 – Passear pela orla da Praia do Forte permite visualizar aquela paisagem linda, mas também uma porção de “verdinhos”, passeando “pra lá, pra cá” e os coqueiros, que foram doados (não foram?) e viraram tocos.

08 - Quer acabar com a zona em que se transforma a Praia do Forte, todo fim de tarde? É só colocar a Guarda Municipal para impedir aquelas traquitanas, que os trouxas acreditam ser veículos. É questão de coragem!

JANIO

09 - A atuação de Janio através de Decreto Legislativo para impedir a renovação automática da concessão da Via Lagos teve grande repercussão nas redes sociais. Os valores cobrados no pedágio da Via Lagos são realmente absurdos e tem que ser revistos.

SILAS_BENTO_1

10 - O deputado Silas Bento (PSDB) está tendo oportunidade única em sua vida política: ser oposição, mesmo estando no “ninho tucano”, especialista em ficar sobre muros habitualmente bastante largos. Quem sabe aprende?


No responses yet

abr 25 2017

DELAÇÃO PREMIADA

Published by under Jornalismo

HUMOR_VERMELHO

JUDAS


No responses yet

abr 25 2017

ESPECIAL MARISA MONTE

Published by under Jornalismo

SARAH-DHY-4


No responses yet

abr 25 2017

IMAGENS – Iva Maria.

Published by under Jornalismo

FOTOS_VERMELHO

IVAMARIA3

IVAMARIA4


No responses yet

abr 25 2017

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE NEUROLÓGICA

Published by under Jornalismo

IVA6

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE NEUROLÓGICA

Alimentação e Saúde Neurológica é tema de Palestra em Cabo Frio.

A neurologista Paula Marques vai abordar o tema “Alimentação e Saúde Neurológica” no espaço de eventos do Cereall Gourmet, dia 25 de abril, às 18 horas. O sistema neurológico (nervoso central e periférico) processa informações do corpo, quando danificado, interrompe a transmissão de sinais, causando grandes problemas.

A boa notícia é que uma dieta rica em minerais, vitaminas e aminoácidos, pode manter o sistema saudável e proteger os nervos. Tudo o que ingerimos exerce uma grande influência sobre a função cerebral, e pode interferir até mesmo no humor, no aprendizado e no envelhecimento celular. Os alimentos podem melhorar o sistema neurológico.

É possível aumentar o poder de concentração e melhorar a memória, por exemplo. A palestra com a especialista em neurofisiologia clínica é gratuita, pede-se a colaboração de uma lata de leite em pó. Todo material arrecado será entregue a APAE Cabo Frio, que estará presente.

O Cereall Gourmet Restaurante fica à Rua José Bonifácio, 28, Centro, Cabo Frio. Mais informações pelo telefone (22) 2629-6739.


No responses yet

abr 25 2017

ALGUMAS RAZÕES PARA NÃO IR A CURITIBA AO ENCONTRO DE LULA. Mauro Santayana

Published by under Jornalismo

ARTIGOS_VERMELHO

Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul (Parlasul): colunista político do Jornal do Brasil, jornalista Mauro Santayana durante debate sobre debate os desafios e perspectivas para a América do Sul, relacionados a crise, estado e desenvolvimen

ALGUMAS RAZÕES PARA NÃO IR A CURITIBA AO ENCONTRO DE LULA.

Mauro Santayana

A oposição pode estar se equivocando com a ideia das pessoas irem para Curitiba no dia 3 de maio para se  solidarizar com Lula.

Em primeiro lugar porque, quando começou-se a falar nas redes sociais e nos comentários dos portais de notícias, de partir para a capital paranaense para  impedir, “na marra”, a prisão do ex-presidente, caso ela viesse a ser decretada no dia do depoimento, pelo estilo das intervenções e a própria hipótese, descabida, era  evidente que essas mensagens estavam vindo do campo adversário para montar uma esparrela, uma arapuca – como se vê no “meme” acima – na qual  qualquer pessoa de bom senso dificilmente acreditaria que se viesse a cair com a facilidade e rapidez com que isso ocorreu.

MS2

Se a ideia é demonstrar apoio, por que razão não fazer exatamente o contrário do que os adversários estão esperando, e em vez de se manifestar em Curitiba, estabelecer vigílias simbólicas, em todas as capitais do país, durante a tomada do depoimento, com exceção, exatamente, da  capital paranaense?

Em segundo lugar, porque um depoimento não pode se transformar em um cavalo de batalha.

 Que os calvos nos desculpem a expressão, mas todo mundo está careca de saber que quem está se dando bem com a politização da justiça, com a decisiva ajuda da parte mais venal e hipócrita da mídia – é a direita.

Se Lula for abertamente hostilizado, ou alguma coisa injusta acontecer com ele, em Curitiba, o fato de ele estar enfrentando, sozinho, a situação, representará um tiro pela culatra para aqueles que querem enfraquecê-lo, fortalecendo, institucionalmente o seu papel, e ressaltando a injustiça e o arbítrio contra ele, não apenas junto à opinião pública nacional, mas aos olhos do mundo.

Em terceiro lugar, porque vai se dar ao Sr. Sérgio Moro mais importância ainda do que ele já pensa que tem, o que o discreto – e modesto – magistrado, ao ver as pessoas se digladiando, na rua, em sua defesa – poderá acabar achando uma maravilha.

Em quarto lugar, porque os fascistas estão desesperados com a consolidação de Lula nas pesquisas, apesar do massacre midiático cotidiano, e precisam de um fato novo, chocante e contundente, aos olhos da maioria da população, para tentar mudar esse quadro.

Quando tem gente que está louca para produzir um confronto, pode até se armar  um atentado, para acusar o adversário de estar por trás dele.

Ou, no mínimo, existe o risco de que se tente infiltrar sabotadores e vândalos no lado pró Lula, para atacar, vestidos de vermelho – quando é que esse pessoal vai entender que o uso do verde e amarelo não é prerrogativa oficial da direita?- as forças de segurança presentes e desaparecer logo depois na multidão, justificando todo o tipo de violência que venha a ocorrer em seguida.

Essa é a tática que foi usada pra engrossar as estúpidas manifestações de 2013 e 2014, no Brasil, que está sendo usada na Venezuela, e que foi adotada na Ucrânia e na maioria dos países árabes, no início da tal “primavera” que os mergulhou no inferno de destruição, miséria e guerra em que se encontram agora.

Ou alguém duvida que, em caso de confronto, com a mentalidade predominante atualmente na polícia, na justiça, no ministério público, as vítimas vão ficar todas de um lado e as simpatias – e as armas – todas do outro?

A recente condecoração, no Dia do Exército, com a máxima comenda da Força Terrestre, de um jornalista que se deu ao trabalho de escrever um livro diminuindo o papel da FEB na Itália – publicamente criticado, quando de seu lançamento, pelo Comandante do Segundo Exército, General Sebastião Ramos de Castro – e de um magistrado que, com a sua atuação, está colocando em risco projetos estratégicos de material de defesa que levaram décadas para voltar a ser executados em nosso país, são significativos dos estranhos tempos que estamos vivendo.

Se, no lugar de aceitar provocação – a começar a do próprio juiz que pretende obrigar Lula a assistir ao depoimento de todas as suas dezenas de testemunhas de defesa – e ir para as ruas em Curitiba, as pessoas que estão se preparando para viajar para lá tivessem defendido a governabilidade e a democracia nas redes sociais, desde o início desse processo nefasto, em 2013,  com o mesmo denodo e empenho,  o  fascismo jurídico-midiático não teria chegado ao ponto que chegou, a – suposta – luta contra a corrupção não teria se transformado em um amplo movimento pela antipolítica, Dilma não teria caído e Lula não estaria depondo nas condições em que irá depor no início do mês que vem em Curitiba.

A guerra pela Democracia, a Constituição e o Estado de Direito, para males do debate livre e benefício do pensamento único imperante, foi perdida na internet, que continua praticamente vazia de comentários, nos espaços ditos “neutros”, de gente que está incomodada com o que está ocorrendo com o país.

E ela – infelizmente para aqueles que desprezam a persistência e o planejamento – só poderá ser vencida se for travada no mesmo espaço, com garra, paciência, serenidade, informação e coragem.

Isso, se as pessoas entenderem que é preciso se mobilizar – inteligentemente – tanto do ponto de vista dialético como do jurídico – como mostrou a indenização que Chico Buarque recebeu recentemente por ter sido caluniado.

E não esquecerem que é preciso correr contra o tempo para se evitar a ascensão de um governo radical e fascista no Brasil, já que resta menos de um ano para se tentar vencer a batalha da opinião pública, na defesa da democracia, da liberdade, do voto, da República e das instituições, até que seja dada, oficialmente, em meados de 2018, a decisiva largada da campanha para as próximas eleições presidenciais.


No responses yet

abr 25 2017

APRENDENDO RESPEITO – Luiz Antônio Nogueira da Guia.

Published by under Jornalismo

CRO_E_POE_VERMELHO

Quando comecei a assinar as coisas que escrevia em jornal o editor chefe, implicou com o tamanho do nome e sobrenome, ambos duplos. Demais. Sobrando! Não ficava bem. Tomava espaço e outras tantas chateações, que enumerava sempre que o colunista dava a cara em alguma página. Foi tanta aporrinhação que não teve outro jeito, ficou Luiz Antônio Nogueira e o da Guia, esquecido, como se fosse o cóccix, aquele osso remanescente da coluna, lá de trás, dos primatas.

Comecei então a usar “pra baixo e pra cima”, em tudo que fazia e assinava apenas o Nogueira, de família tão comprida. O Guia ficou lá adormecido, escondidinho, mas vez por outra me doendo, aquela dorzinha chata, pequena, persistente e incômoda, que vai te roendo, mas incapaz de provocar um rompimento ou explosão de angústia. Era assim que me sentia sempre que assinava algum artigo e nas poucas vezes que convidado para falar em alguma emissora de rádio.

Um dia, desses períodos doídos, que a gente enfrenta ao longo da vida. Dias em que o amigo é maior que qualquer coisa, fui almoçar na casa de um grande amigo do meu pai. Amigo da vida inteira, que continuou protegendo e abraçando a família após a morte do meu pai.

Nunca o vi levantar a voz generosa, sempre dava o seu melhor olhar para o outro e tinha imenso orgulho e prazer de estar entre os amigos. Acho que morreu devagar, junto com os amigos, que foram desaparecendo e ele não viu razões para continuar por aqui.

Terminamos o almoço e fomos pra varanda, enquanto vinha o cafezinho:

- Tonho, por que você tirou o nome do seu pai?

- Não tirei, foi apenas pra caber melhor na página do jornal, Luiz Antônio Nogueira da Guia, fica muito comprido.

- Nunca mais vou ler. Você tirou o nome de Saul, enquanto as lágrimas desciam pelo rosto.

Aprendi naquele dia a ter respeito pelo meu nome e sobrenome.

Obrigado, Glauco!

TOTONHO_COM_BARBA_1

Luiz Antônio Nogueira da Guia.


No responses yet

abr 25 2017

AUTOBIOGRAFIA DE BAQUAQUA

Published by under Jornalismo

DICAS_VERMELHO

BAQUAQUA

Em 13 de Maio, a Editora Uirapuru lançará a única autobiografia de um negro escravizado no Brasil no século XIX, a Autobiografia de Mahommah Baquaqua. Trata-se de uma obra inédita no Brasil, que será publicada depois de 167 anos de sua criação, em edição limitada, para comemorar os 20 anos da fundação da Ed Uirapuru.
A pré-venda começa a partir de amanhã, 20 de abril, somente na www.lojaeditorauirapuru.com.br.
E tem mais, para comemorar essa data tão importante, na compra de um livro em pré-venda na loja da Editora Uirapuru, você ganha um segundo livro de presente.


No responses yet

abr 25 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_2


No responses yet

abr 24 2017

EDITORIAL – CORONELISMO EM PLENO SÉCULO XXI

Published by under Jornalismo

EDITORIAL_VERMELHO

CORONELISMO

O Ministério Público Estadual tem trabalhado bastante na e os que dão mais problemas são justamente aqueles que deveriam servir de exemplo para toda a sociedade: as prefeituras dos municípios que compõe a Região dos Lagos.

O exame, por mais rápido que seja, nas estruturas políticas, eleitorais e administrativas, que constituem os grupos políticos hegemônicos na região, permite dizer que são absurdamente atrasados. Comportam-se como na República Velha

Acontece que estamos nas primeiras décadas do século XXI, em áreas altamente urbanizadas, mas o arcaico insiste em sobreviver com subterfúgios, que precedem o século XX, talvez o XIX, maculando a democracia.

Não existe nada de republicano nas práticas dos grupos hegemônicos aqui na Região dos Lagos. A “capital” Cabo Frio é exemplo claro da permanência de costumes políticos deploráveis, que se repetem ano após ano.

A insistência em misturar o público e o privado dá origem a tráfico de influência, privilégios e corrupção. Não é por acaso que o Ministério Público tem se desdobrado em trabalho e embates permanentes.

 


One response so far

abr 24 2017

FALTAM VERGONHA, RESPEITO E TALVEZ REMORSO.

Published by under Jornalismo

NOTICIAS

Faltam vergonha, respeito e talvez remorso.

O “doutor” Marquinhos Mendes (PMDB), da mesma maneira que o “doutor” Alair Corrêa (PP), um é ortopedista e outro bacharel em direito, não conseguem esconder: têm horror a livros e a biblioteca ou a qualquer coisa semelhante. Basta ver o que os dois governos, “pérolas do saber”, fizeram com a Biblioteca Pública Municipal Walter Nogueira e comparar os espaços da biblioteca com o do Museu do Surf. Eles não tem vergonha! Não tem sentimento! Não tem respeito! E muito menos remorsos.

Luiz Antônio Nogueira da Guia – Professor.

Sistema esgotado

Precisamos de mais investimentos nas redes separadoras, o sistema misto adotado em tempo seco, está saturado e já extrapolou a capacidade de suporte das manilhas de águas pluviais. Portanto, faz-se necessário que o Município de Cabo Frio invista seus recursos provenientes do “ICMS Verde” na implantação da rede separadora, começando pelo centro da cidade e avançando pelos bairros a médio e longo prazo”.

Mário Flávio Moreira – Biólogo e Consultor ambiental.


One response so far

abr 24 2017

TIA ZUZU

Published by under Jornalismo

ZUZU

01 – Desistiu? O prefeito Marquinhos Mendes (PMDB) apesar de ter anunciado o corte de 20% nas despesas do governo parece ter desistido. Os “verdinhos” continuam passeando “de lá pra cá, de cá pra lá” por toda a cidade.

02 – A desistência pode ter sido efeito das pressões da bancada governista na câmara. Afinal, os “verdinhos” foram cabos eleitorais na campanha dos vereadores, que apoiaram Marquinhos Mendes.

03 – Manter a estrutura político-eleitoral herdada da campanha pode gerar custo altamente pesado do outro lado: a incapacidade de manter os prazos dos acordos feitos entre o governo e os sindicatos.

04 – O governo está mantendo o mesmo modelo de empreguismo do governo Alair Corrêa (PP). Embora faça o discurso de contenção de despesas, na prática discretamente o grupo político vem colocando seu pessoal e distribuindo as portarias.

05 – Empreguismo e  “contratos emergenciais”, sem licitação pública, dão o tom da prefeitura de Cabo Frio, sob o controle do grupo político de Marquinhos Mendes (PMDB).

ALAIR-CAPO   +   MARQUINHO_MENDES_14

06 – Não existe nenhuma diferença essencial entre os grupos de Alair e Marquinhos: os métodos são os mesmos, com diferenças irrelevantes, muito mais de comportamento e aceitação social, do que alguma questão ética. O resto é conversa fiada, buscando enganar os trouxas, que parecem ser em número bastante expressivo.

07 – O apoio político ao governo depende da sua capacidade em distribuir portarias, contratos de trabalho e para empresas de amigos. O problema é que para manter toda essa “mamata” o barril do petróleo teria que estar a 140 dólares e a Bacia de Campos, em ascensão.

08 – A economia mudou, mas o modelo político antigo permaneceu o mesmo, desperdício incompatível com os novos tempos, principalmente com a forte crise em que vive o estado brasileiro.

ADRIANO_MORENO_10

09 – O grupo do ex-vereador Adriano Moreno (Rede) tem sido o refúgio político dos “alairzistas arrependidos”, tentando ganhar o verniz e o lustre necessários para ter alguma credibilidade e voltar à política.

JANIO-FOTO

10 – O grupo político do deputado Janio Mendes (PDT) tenta se reestruturar após os erros táticos graves cometidos durante a campanha eleitoral. É um processo duro, que passa por uma autocrítica, que os trabalhistas mais cedo ou mais tarde terão que fazer.


9 responses so far

abr 24 2017

GREVE GERAL – 28 DE ABRIL.

Published by under Jornalismo

GREVEGERAL


No responses yet

abr 24 2017

BOTES – Antônio José Christovão Pinto.

Published by under Jornalismo

FOTOS_VERMELHO

BOTES


No responses yet

abr 24 2017

FRANCISCO NÃO VEM AO BRASIL.

Published by under Jornalismo

HUMOR_VERMELHO

CHARGE-CARDEAL


No responses yet

abr 24 2017

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE NEUROLÓGICA

Published by under Jornalismo

IVA6

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE NEUROLÓGICA

Alimentação e Saúde Neurológica é tema de Palestra em Cabo Frio.

A neurologista Paula Marques vai abordar o tema “Alimentação e Saúde Neurológica” no espaço de eventos do Cereall Gourmet, dia 25 de abril, às 18 horas. O sistema neurológico (nervoso central e periférico) processa informações do corpo, quando danificado, interrompe a transmissão de sinais, causando grandes problemas.

A boa notícia é que uma dieta rica em minerais, vitaminas e aminoácidos, pode manter o sistema saudável e proteger os nervos. Tudo o que ingerimos exerce uma grande influência sobre a função cerebral, e pode interferir até mesmo no humor, no aprendizado e no envelhecimento celular. Os alimentos podem melhorar o sistema neurológico.

É possível aumentar o poder de concentração e melhorar a memória, por exemplo. A palestra com a especialista em neurofisiologia clínica é gratuita, pede-se a colaboração de uma lata de leite em pó. Todo material arrecado será entregue a APAE Cabo Frio, que estará presente.

O Cereall Gourmet Restaurante fica à Rua José Bonifácio, 28, Centro, Cabo Frio. Mais informações pelo telefone (22) 2629-6739.

 


No responses yet

abr 24 2017

ABUSO DE AUTORIDADE – A MILITÂNCIA POLÍTICA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DESAFIA A LEI E O CONGRESSO NACIONAL. Mauro Santayana

Published by under Jornalismo

ARTIGOS_VERMELHO

Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul (Parlasul): colunista político do Jornal do Brasil, jornalista Mauro Santayana durante debate sobre debate os desafios e perspectivas para a América do Sul, relacionados a crise, estado e desenvolvimen

ABUSO DE AUTORIDADE – A MILITÂNCIA POLÍTICA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DESAFIA A LEI E O CONGRESSO NACIONAL.

Mauro Santayana

Como se tratasse de um partido, em mais um ato descaradamente político –  como já se tornou hábito nos últimos anos, no Brasil, sem contestação por parte da imprensa e de órgãos de controle – procuradores do Ministério Público tem produzido   e divulgado vídeos – em defesa de seus próprios interesses – a propósito da Lei de Abuso de Autoridade em exame, neste momento, pelo Congresso Nacional.

 MS1

Se membros do Ministério Público, aliás, parte de seus membros, que se arvoram em representar a classe, quando, graças a Deus, nem todos os procuradores – e juízes – brasileiros concordam com os absurdos que vêm acontecendo, quiser legislar, que renuncie à carreira e se lance candidato a deputado ou senador nas próximas eleições.

Afinal, já existe até um partido que adotou o símbolo de um certo movimento político que partiu, também, sem ser coibido, de membros do Ministério Público.

Nunca é demais lembrar que o MP foi criado não para fazer, mas para obedecer à Lei.

Quem legisla, neste país é o Congresso, que tem, com todos os seus defeitos, uma coisa chamada voto, que  o legitima para isso, que o Ministério Público não tem.

A questão da nova Lei de Abuso de Autoridade é fundamental para o futuro do Legislativo e da Democracia Brasileira.

Com ela, se irá decidir não apenas os direitos dos cidadãos frente a um estado cada vez mais repressivo, arrogante autoritário, mas quem vai mandar no país daqui pra frente.

Em jogo está a autonomia – palavra tão em voga ultimamente para certos setores do aparato repressor do Estado – do Legislativo e da Política frente a uma plutocracia que acredita poder comandar a República.

Uma plutocracia que não é perfeita nem inocente, e que apresenta inúmeros problemas, começando por privilégios como altíssimos rendimentos, que ultrapassam, em muitos casos, dezenas de salários mínimos e em várias vezes o que recebe o Presidente da República.

Trata-se de um momento histórico e decisivo e de uma oportunidade única, que o Senado Federal não pode deixar passar de colocar as coisas, do ponto de vista institucional,  em seu devido lugar.

Os legisladores não devem se deixar tolher nem intimidar  pela massacrante campanha midiática – que não por acaso não se afrouxa nem por um instante justamente neste momento – nem por um suposto apoio da  população ao que está ocorrendo no país, apoio que está minguando a olhos vistos, como se percebeu pelo fracasso das últimas manifestações convocadas para reforçar a pressão e a chantagem sobre os representantes eleitos, e a última do IBOPE, de hoje, que mostra Lula como o eventual  candidato a presidente com maior potencial de votos.

Numericamente, cerca de menos de 1% de brasileiros que apoiaram mudanças na legislação destinadas a reforçar o poder de repressão do Estado, situados majoritariamente na classe média – a periferia e o campo tem mais o que fazer e com o que se preocupar – não representa, nem pode representar, a maioria da população brasileira.

Crescentes parcelas da opinião pública, embora manipuladas cotidianamente pela máquina midiática, desconfiam cada vez mais das intenções e consequencias de um  ”combate à corrupção” que está arrebentando com a economia, com os empregos, a engenharia e a soberania nacionais, destruindo o equilíbrio entre os poderes e colocando em risco o Estado de Direito e a própria democracia no Brasil.

 O  Congresso precisa mostrar se ainda tem um mínimo de hombridade e dignidade ou se  vai passar para a História como uma legislatura acoelhada, que institucionalizará definitivamente o avanço de um Estado de Exceção, de fato, e a entrega e a rendição da sociedade brasileira – e do universo político – ao abuso de poder de uma plutocracia arrogante e vaidosa, que pretende mandar no país sem voto e sem mandato constitucional.

Todo poder emana – por meio das urnas e do título eleitoral – do povo, e em seu nome deve ser exercido, reza a Constituição Federal.

Que sabiamente proíbe – não dá para subjetivar nem relativizar a clara intenção por trás do texto – e isso deveria estar sendo lembrado a todo momento pelo Congresso Nacional – o exercício da atividade política por parte de juízes e de procuradores do Ministério Público que só estão faltando montar – diretamente – seus próprios partidos políticos, vestir uniformes – o preto, o marrom e o dourado tem feito sucesso ultimamente – costurar  estandartes e bandeiras e começar a marchar a passo de ganso.


One response so far

abr 24 2017

PEQUENAS CRÔNICAS SOBRE TUDO – Luciana Branco.

Published by under Jornalismo

DICAS_VERMELHO

LIVRO-LUCIANA


No responses yet

abr 24 2017

O TELEFONEMA – Luiz Antônio Nogueira da Guia.

Published by under Jornalismo

CRO_E_POE_VERMELHO

TELEFONE

Recebi o chamado de uma velha “tia de consideração”. Tinha acabado de completar noventa anos. Queria muito que eu aparecesse na casa dela, porque, segundo o pressuroso emissário, havia muita coisa que ela queria me contar e achava que eu não poderia deixar de saber, ao menos, ouvir.

São tantas as revelações que podem vir de uma vida tão longa, que não me fiz de rogado e na primeira oportunidade dei as caras pela casa da tia, que não visitava há anos. Não por qualquer incompatibilidade com ela, mas por desleixo e antipatia ao tio, velho miserável, que tratara muito mal a meu pai.

Após a morte dele ficou o vácuo, nem afeto, desdouro ou rancor. As relações sumiram: ficou o vazio!

Por isso, fiquei mesmo surpreso com o convite e não se pode deixar de atender ao pedido de uma senhora com noventa anos, mas confesso que a curiosidade também me pescou pela orelha. Algum segredo palpitante arrancado do fundo do baú das lembranças? Talvez alguma questão de alcova da família? Uma joia perdida?

O apartamento ainda guardava alguma solenidade de outros tempos, em que nada era tão rápido. A figura daquela velhinha pequena, quase desaparecida, em meio às almofadas, imediatamente lembrou minha avó materna, na foto em que reunida, a família festejava as bodas de ouro de Chiquita e Joaquim.

Em meio às almofadas, a Tia me pediu para chegar mais perto e puxou um rosário de queixas contra o meu Tio, com quem foi casada por mais de 50 anos. Não sei o tempo dos queixumes, mas pareceu um dia inteiro e bastante espantado, porque desceu a detalhes constrangedores das relações entre os dois. As acusações sobraram, inclusive para minha avó paterna, Moçazinha.

Muito tempo depois, ela já havia falecido, encontrei com o parente comum, que me havia levado o recado que ela queria conversar comigo. Relatei rapidamente o encontro e perguntei a razão daquele desabafo, amargo e tão perto da morte, com um parente, com o qual ela não tinha proximidade.

Ele me disse que logo depois do marido morrer, alguém, que imagina ter sido uma amante, entrou em contato com ela e fez um verdadeiro relatório-testamento de todas as aventuras e traquinagens do meu Tio ao longo do casamento. A admiração, se é que havia, o respeito e talvez o medo, transformou-se em ódio.

Por que eu a ouvir? Perguntei.

Porque você é o único capaz de investigar e relatar para as próximas gerações tudo o que aconteceu.

Será?

Quem sabe a próxima crônica?

TOTONHO_COM_BARBA_1

Luiz Antônio Nogueira da Guia.


No responses yet

abr 24 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_2


No responses yet

abr 22 2017

EDITORIAL – COMEÇA O ESPETÁCULO OU CAI O PANO?

Published by under Jornalismo

EDITORIAL_VERDE

sOJ3f

Inquietação e preocupação são expressões que definem o Governo Marquinhos Mendes (PMDB) passados 100 dias de sua instalação entre urras, gritos de vitória e fogos de artifício. Imediatamente veio o decreto de “calamidade financeira”, seguido dos famosos “contratos emergenciais”, nos quais a licitação pública foi abandonada pela emergência. Quem sabe, urgência? A população ficou pasma diante de tanta rapidez!

A arrogância, a prepotência e o sentimento de impunidade tão evidentes nos primeiros dias e na frase “farinha pouca meu pirão primeiro” foram substituídos pelo chamado “Efeito Barroso/Weber”, que não admite as vantagens do chamado “foro privilegiado”.

Através de despacho o ministro Luís Roberto Barroso encaminhou a ministra-relatora Rosa Weber, claríssima condenação ao mau uso do “foro privilegiado”.

E quem o ministro do STF foi buscar como exemplo? O prefeito de Cabo Frio, o médico ortopedista, Marquinhos Mendes (PMDB).


No responses yet

abr 22 2017

MARQUINHOS MENDES EM APUROS COM O MPE-RJ.

Published by under Jornalismo

NOTICIAS

MPE-RJ: moralizando as relações políticas.

O MPE-RJ resolveu moralizar de uma vez por todas as relações político-administrativas-familiares nas prefeituras da Região dos Lagos, que sempre tiveram vidas largas e frouxas: sobrou mais uma vez para o governo de Marquinhos Mendes (PMDB), que anda bastante aperreado pela justiça. O MPE-RJ recomendou a exoneração de Cláudio (Presidente da Comsercaf) e Hilda Moreira, pais do vereador Guilherme Moreira (PPS), um dos “meninos de ouro” da bancada governista, na câmara.

CLAUDIO_MOREIRA_1

Tráfico de influência

A ação do MPE-RJ coloca holofotes em cima do que a população está cansada de saber: o tráfico de influências e o nepotismo, cruzado ou direto, fazem parte da vida pública de Cabo Frio. Sempre existiram, mas foram engrossados pela chuva de royalties do petróleo, a partir de 1997 e foram à base dos acordos políticos nos últimos 20 anos, nos governos de Alair e Marquinhos.

Cadê a coragem?

Dentro da estrutura política armada para a eleição de Marquinhos Mendes (PMDB) vai ser muito difícil para o prefeito ter a coragem de “canetar” Cláudio Moreira da presidência da Comsercaf. Algum arranjo vai ser feito, mas a queda de Cláudio Moreira pode desarranjar a base política do grupo político, que assumiu o governo no início de 2017. O Jornal do Totonho vai acompanhar caso tão caudaloso.


One response so far

abr 22 2017

TIA ZUZU

Published by under Jornalismo

ZUZU

01 – Segundo as “paredes murmurantes” do histórico prédio da câmara de vereadores de Cabo Frio, se o “céu desabar sobre a cabeça” (vide Asterix) de Cláudio Moreira, muitos vereadores também poderão ser atingidos.

02 – As mesmas “paredes murmurantes” garantem que a possível saída de Cláudio Moreira teria a ver com disputas dentro da bancada governista, em relação à candidatura a Assembleia Legislativa, em 2018.

03 – Os “verdinhos”, que teriam sido colocados para ajudar na fiscalização passam o tempo sem fazer nada, jogando conversa fora, em grupos de até seis pessoas. Basta ver o caos na Rua Meira Júnior.

SUJEIRA

04 – Muitos donos de bares e restaurantes não tem o menor respeito pela cidade e seus moradores: sujeira e som alto são corriqueiros. Não estão nem aí para o transtorno que estão causando, porque acreditam nos seus poderes como “cabos eleitorais”.

CAMARA-6

05 – Grande parte da bagunça, da imundice e da zorra generalizada, que cresce cada vez mais em Cabo Frio, tem o dedo dos vereadores, que dão cobertura a toda sorte de gente, que não tem o menor zelo pela cidade.

06 – Garantir a reeleição é o mote de grande, talvez a totalidade dos vereadores. A cidade que se dane nas mãos de gente que apenas se preocupa com o lucro a curtíssimo prazo. Medidas saneadoras para preservar a população, a cultura e história da cidade, nem pensar. Pode gerar perda de votos. É um lixo!!!

07 – Na areia da Praia do Forte não deveria ter nada fixo, nem mesmo as barracas autorizadas pela prefeitura. Algumas das barracas estão se transformando em residência fixa. Basta olhar para a areia da praia e constatar o fato.

08 – Que tal restaurar na Lei Orgânica Municipal (LOM) o item que estabelecia 35% do orçamento do município para a Educação. Foi uma grande conquista do movimento dos profissionais da educação, posteriormente perdida, no governo de Alair Corrêa (PP) e nunca restabelecida por Marquinhos Mendes (PMDB).

09 – O modelo instalado em Cabo Frio a partir de 1997 está sendo combatido por ações do Ministério Público Estadual (MPE-RJ) contra o nepotismo direto ou cruzado. Os sindicatos tem a obrigação política de entrar com mais firmeza nesta luta.

ROBERTO_PILLAR_3 ADRIANO_MORENO_10 CARLOS-ERNESTO-MÉDICO

10 – O secretário de saúde Roberto Pillar deixa claro que recebeu terra arrasada. No entanto, o antecessor, o ex-secretário de saúde de Alair Corrêa (PP), indicado pelo vereador Adriano Moreno (Rede), é secretário de defesa civil de Marquinhos Mendes (PMDB). Explique se puder!

 


3 responses so far

abr 22 2017

ÁREA IMPRODUTIVA?

Published by under Jornalismo

HUMOR_VERDE

GRANA

piada2


No responses yet

abr 22 2017

ESPECIAL MARISA MONTE.

Published by under Jornalismo

SARAH-DHY-4


No responses yet

abr 22 2017

PRAIA – Iva Maria.

Published by under Jornalismo

FOTOS_VERDEIVAMARIA1

IVAMARIA2


No responses yet

abr 22 2017

ESPECIAL MARISA MONTE – SARAH DHY & BANDA

Published by under Jornalismo

SARAH-DHY-4


No responses yet

abr 22 2017

O PRESENTE DO “MÃO DE VACA” – Luiz Antônio N. Guia.

Published by under Jornalismo

CRO_E_POE_VERDE

vassoura

Velho amigo do tempo em que as árvores da Praça Porto Rocha eram frondosas e infestadas de “lacerdinhas”, até hoje repete a história do tio, absolutamente “pão duro”, que a gente conhece como o popular “mão de vaca”. O homem era magro, espichado, com uma nareba, que absorvia o ar de toda a redondeza. Não ajudava ninguém.

Até mesmo Dona Milu, senhora da Irmandade do Santíssimo, carola das mais conhecidas e respeitadas da paróquia, encarregada de passar a sacola da coleta dos óbolos, na missa das 9, passava direto pelo miserável. Sempre impassível, não coçava o bolso.

Morreu seco, do jeito que viveu. A devotada esposa, ela mesma, logo após o enterro, mandou rezar a Missa de 7º Dia, mas parecida com Missa de Ação de Graças, tal a expressão de felicidade da viúva. Para espanto e regozijo de Dona Milu, a viúva depositou na sacola de coleta, aquela de pano de vermelho aveludado, uma quantia que dava para cobrir um mês de “santíssimas esmolas”: por milagre, o passamento do velho miserável acabou por ser lucrativo para a paróquia.

Pois foi na saída da “festiva” Missa de 7º Dia, que o amigo me contou, que uma única vez ganhou um presente do sovina, que por falta de sorte, também era seu padrinho.

Foi no comício final da campanha de Janio Quadros a presidência da república, em 1960, que, por incrível que pareça foi realizado, na Praça Porto Rocha, em Cabo Frio.

VASSOURA1

“Vassourinha” para pregar na lapela.

O símbolo da campanha era a ‘vassoura’, que o candidato anunciava que iria varrer a corrupção, no Brasil e distribuía para os eleitores, nos comícios, milhares de vassourinhas para pregar nas blusas, camisas, lapelas dos paletós e gravatas. Uma dessas vassourinhas caiu ao chão e depois de recolhida, devidamente guardada pelo avarento, foi dada ao sobrinho/afilhado como folheado a ouro.

E só!

TOTONHO-CHARME

Luiz Antônio N. Guia.


No responses yet

abr 22 2017

K – 36 – O ZEPPELIN QUE CAIU NO CABO – Leandro Miranda.

Published by under Jornalismo

LIVRO


No responses yet

abr 22 2017

CHEGA DE INTOLERÂNCIA!

Published by under Jornalismo

TERREIROS


No responses yet

abr 22 2017

ATO EM CABO FRIO CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA – 28 DE ABRIL – 15 HORAS – PRAÇA PORTO ROCHA.

Published by under Jornalismo

PREVIDENCIA


No responses yet

abr 22 2017

“CABO FRIO: PATRIMÔNIO DESCONHECIDO DO BRASIL”

Published by under Jornalismo

BARRA-1

“CABO FRIO: PATRIMÔNIO DESCONHECIDO DO BRASIL”

No Mês Global da Astronomia, palestra com o geógrafo Rodrigo Fernandes, membro do Programa de pós graduação da PPGEO-UERJ, e observação planetária com o astrônomo Marcelo Fernandes.

O Cereall Gourmet e a Rede Rio Astronomia, com apoio do MART-Ibram, da Universidade Estácio de Sá, do Convention & Visitors Bureau e da UERJ, realizam palestra gratuita, dia 22 de abril, às 17h30, para apresentar novas formas de percepção do patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental presentes na cidade de Cabo Frio. O evento faz parte da celebração do Global Astronomy Month – GAM. Em seguida acontecerá observação planetária dos astros, com auxílio de telescópio, e monitorada por um astrônomo, no Museu de Arte Religiosa e Tradicional, antigo convento Nossa Senhora dos Anjos.

A partir do aniversário da descoberta do Brasil, 22 de abril, a palestra “Cabo Frio: Patrimônio Desconhecido do Brasil” convida os participantes à reflexão de como podemos nos apropriar da riqueza patrimonial cabo-friense e assim enriquecer não apenas nossa vivência particular e coletiva nessa que é a “capital” da Região dos Lagos, como também sugerir possibilidades de negócios e investimentos. Público alvo: alunos, professores e interessados nas questões históricas e patrimoniais de um modo geral, assim como comerciantes e empresários.

A palestra acontece às 17h30, no espaço de eventos Cereall Gourmet Restaurante, que fica à Rua José Bonifácio, 28, Centro, Cabo Frio. E a observação planetária dos astros em evidência, no gramado do antigo convento Nossa Senhora dos Anjos, às 19 horas. Para participar do evento é só levar 2 quilos de alimentos não perecíveis, que serão doados a APAE em Cabo Frio. Vagas limitadas. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no site http://cereallgourmet.com.br, ou pelo telefone (22) 2629-6739.


No responses yet

abr 22 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_2


No responses yet

abr 21 2017

EDITORIAL – O EFEITO BARROSO/WEBER

Published by under Jornalismo

EDITORIAL_VERDE

BARROSO-WEBER-1

O prefeito de Cabo Frio tenta de todas as formas se apresentar tranquilo. Não é bem assim. Processos em cima de processos tem atormentado o governo municipal. Não são oriundos da oposição, mas de problemas do prefeito e do seu grupo político com o judiciário, especialmente a justiça Eleitoral.

Não foi por acaso que o prefeito de Cabo Frio saiu do anonimato e foi escolhido a dedo pelo ministro do STF, Luís Roberto Barroso, como exemplo do mau uso do “foro privilegiado”, que tem sido repudiado pela grande maioria da população brasileira, que exige mudanças na legislação. A notoriedade, nascida dessa forma não beneficiou em nada o prefeito.

A citação do ministro da suprema corte deu conhecimento público, celebrizou o “Caso Marquinhos” e acabou por criar a expressão “Efeito Barroso”, que tem gerado momentos de grande apreensão ao grupo político, que domina a cena no município, após a vitória eleitoral desde 2 de outubro de 2016.

Hoje se pode dizer com clareza que a partir desta semana a expressão foi ampliada e aprofundada, passando a denominar-se “Efeito Barroso-Weber”.


3 responses so far

abr 21 2017

GOVERNO DE MARQUINHOS TENTA EMPLACAR BELLO NA PRESIDÊNCIA DO PT.

Published by under Jornalismo

NOTICIAS

Até hoje o desgaste provocado pelo ‘Caso Abílio’ não desgruda do prefeito Marquinhos Mendes (PMDB). Nesses tempos de ‘Lava Jato’ o prefeito de Cabo Frio deve tomar todo o cuidado possível para que nada de semelhante aconteça nessa operação desencadeada pelo seu grupo político para tomar o controle político do PT. É grande a pressão do governo para derrotar a candidata Priscila Soares, no 2º turno, que acontece em 30 de abril, no CIEP 150, no bairro Manoel Corrêa. O governo atua direta e indiretamente através de Eduardo Kita (PPS) e Aquiles Barreto (Solidariedade), tentando emplacar Rubens Bello, ex-PFL, na presidência do PT.


No responses yet

abr 21 2017

TIA ZUZU

Published by under Jornalismo

ZUZU

Leonardo-Picciani

01 – As chances do “grande irmão” Carlos Victor se eleger deputado federal, nas eleições de 2018, ficarão bastante comprometidas caso Marquinhos Mendes cumpra a palavra e apoie a reeleição de Leonardo Picciani, do seu partido, o PMDB.

JORGE

02 – Quando o presidente da Assembleia Legislativa Jorge Picciani (PMDB) concorreu eleição ao senado e foi derrotado, esbravejou contra o prefeito de Cabo Frio, Marquinhos Mendes (PMDB) e o chamou publicamente de “moleque”. Segundo ele, Marquinhos não cumpriu os compromissos assumidos.

03 – A mídia cabofriense não se limitou a noticiar, torceu por Marquinho Mendes (PMDB), no processo que respondia e ganhou no TRE: basta olhar as manchetes. Faltaram apenas os fogos de artifício.

04 – Deve ser pela simpatia irradiada pelo discurso do prefeito, que no primeiro dia de governo passou do “beijo no coração” para algo que fala muito mais a mídia que beijinhos: “farinha pouca meu pirão primeiro”. Que coisa!

05 – A vitória no TRE permite ao governo Marquinhos Mendes (PMDB) respirar, mas outra “pedreira” o aguarda na próxima semana. Vem aí o julgamento, no TSE, em Brasília.

LUCAS-VALERIA

06 – O cineasta Lucas Müller começou a gravar na noite de ontem o evento bike night, que percorre as ruas de Cabo Frio com o apoio da prefeitura e da iniciativa privada. O evento completa três anos com maior sucesso e ganha de presente o filme, que é também um presente para toda a cidade. Na foto, o cineasta está com uma das participantes, Valéria Nogueira.

07 – A prefeitura de Cabo Frio comemora o Dia de Tiradentes a seu jeito: o prefeito enforca os servidores, não paga os salários e descumpre o acordo feito com os sindicatos.

08 – Devagar o atual governo vai seguindo o exemplo do antecessor. Não muda o modelo, continuando a bancar o empreguismo deslavado, complicando o caixa para cumprir a folha de pagamentos.

09 – Apesar de se acusarem mutuamente, os “cumpadres” o fazem apenas da “boca pra fora”. Nenhuma medida efetiva é tomada para apurar desvios de conduta ou mesmo de bens públicos.

ROBERTO_PILLAR_3

10 – Boa à entrevista dada a Folha dos Lagos pelo secretário municipal de saúde, o médico ortopedista Roberto Pillar. O jornal trás a foto do secretário, com semblante tranquilo, apesar dos “perrengues”. O poder remoça e faz bem!


One response so far

abr 21 2017

ARRUMANDO A CASA?

Published by under Jornalismo

TAXI-CANAL

PLACA-AA

A coordenadoria municipal do meio ambiente apresentou plano para viabilizar o trânsito para a unidade de conservação da Ilha do Japonês. O ordenamento de embarque náutico já foi posto em prática pela secretaria de turismo, postura e a guarda ambiental. O acesso terrestre, em conjunto com a secretaria de mobilidade urbana está sendo reordenado com placas indicativas. Importante ficar de olhos bem abertos em relação aos estacionamentos públicos, cuja renda pela LOM (Lei Orgânica Municipal) deveria ser destinada as entidades filantrópicas do município.


No responses yet

abr 21 2017

JANIO DENUNCIA MANOBRA DO GOVERNO FEDERAL QUE PODE TRAZER GRANDE PREJUÍZO PARA MACAÉ, RIO DAS OSTRAS E CABO FRIO.

Published by under Jornalismo

JANIO-DISCURSO-ALERJ

JANIO DENUNCIA MANOBRA DO GOVERNO FEDERAL QUE VAI TRAZER GRANDE PREJUÍZO PARA MACAÉ, RIO DAS OSTRAS E CABO FRIO.

. A denúncia de Janio foi feita na Assembleia Legislativa.

O Governo Federal está realizando uma manobra que visa trazer – e faço esta denúncia – um grande prejuízo à nossa baixada litorânea, Macaé, Rio das Ostras, Cabo Frio, que é transferir todas as atividades de petróleo da Petrobras de Macaé para São João da Barra, para o Porto do Açu. Se houvesse uma justificativa logística para tal, nós aceitaríamos, mas, o que está por trás desta manobra foi que, para salvar o Sr. Eike Batista dos investimentos feitos no Porto do Açu quando se arrumou um comprador para o Porto do Açu, o Governo Federal, afiançando a manobra, assumiu o compromisso de levar para lá as atividades da Petrobrás. Isso está sendo tratado já há algum tempo. A empresa Edison Chouest Offshore, que hoje detém o controle do Porto do Açu, levou do Governo Federal esse compromisso. Daí, como manobra final, articula-se a paralisação dos poços de petróleo ali da nossa Bacia de Campos, para, depois da requalificação, uma retomada com novas regras e com uma nova área portuária, transferindo-se de Macaé as atividades de petróleo. Esta manobra gerará a economia da região um grande prejuízo; deixará em Rio das Ostras, Cabo Frio, na região de Tamoyos, em Macaé, um grande deserto na relação de emprego; deixará um grande bolsão de miséria. Nós não estamos falando de uma transferência próxima, não, são quilômetros e quilômetros de distância, desemprego em massa. É o que anuncia o Governo com esta manobra de transferir as atividades da Petrobrás e suas subsidiárias de Macaé para o Porto do Açu. É o fim do contrato de trabalho, da relação de trabalho, é a miséria a que se condena o município de Rio das Ostras. Um Estado como o do Rio de Janeiro, que sofre impacto com a atividade de petróleo, não pode ser gerido na irresponsabilidade do interesse meramente especulativo e empresarial, numa manobra montada para salvar os negócios do Sr. Eike Batista e que causa um grande desequilíbrio ao Estado do Rio de Janeiro.
O Porto do Açu foi pensado na direção do minério. O minerioduto se estendeu lá de Minas Gerais, negócios no Brasil foram fechados com a China para viabilizar aquele empreendimento. Com a quebradeira desses negócios, voltam-se as baterias para aquilo que é um negócio estruturado, que é o negócio da Petrobrás ali em Macaé, e, para cobrir um santo, desveste-se o outro. O cobertor é curto em tempo de crise econômica e nós não iremos nos calar e aceitar essa manobra criminosa que fere de morte os municípios de Macaé, Rio das Ostras e a nossa região da Baixada Litorânea.
É isso que está por trás destas manobras, dessas articulações de fundo econômico, de paralisação temporária de atividade e de retorno com novas regras, novas regras e nova praça, um novo parque, um novo porto, nova estrutura, bem longe da cidade de Macaé, bem longe de Rio das Ostras, bem longe da nossa região. Não podemos aceitar e não nos calaremos diante deste absurdo.


No responses yet

abr 21 2017

PLANO DE ARBORIZAÇÃO URBANA – PDAU – Mario Flavio Moreira.

Published by under Jornalismo

ARTIGOS_VERDE

MARIO_FLAVIO_MOREIRA_4

PLANO DE ARBORIZAÇÃO URBANA – PDAU

Mario Flavio Moreira (*)

As árvores urbanas e as vegetações associadas têm inúmeros usos e funções no ambiente urbano. Além do uso estético e arquitetônico, a vegetação urbana desempenha várias funções de engenharia.

As árvores urbanas são importantes para sociedade, pois a maioria da população vive em áreas urbanas. As árvores ajudam na melhoria da qualidade de vida das pessoas, contribuem para o lazer, conforto e bem – estar das pessoas.

Entende-se por arborização urbana toda cobertura vegetal de porte arbóreo existente nas cidades. Essa vegetação ocupa, basicamente, três espaços distintos, as áreas livres de uso público e potencialmente coletivas, as áreas livres particulares e as áreas acompanhando o sistema viário.

As árvores nas calçadas dão cor, frescor, beleza e são importantes para a reciclagem do ar. Porém nem todas as árvores são exatamente adequadas para as calçadas. Algumas devido às suas raízes grandes ou superficiais, por seus frutos pesados ou lenho frágeis, que podem danificar a calçada ou causar danos às casas, pessoas, veículos, etc. Mas para você não errar, pesquise sobre algumas dicas e espécies indicadas para o plantio urbano.

AVENIDA-ASSUNCAO

Exemplo ruim de arborização – Avenida Nossa Senhora da Assunção, Centro, Cabo Frio – RJ.

A Cidade de Cabo Frio como outras da região, veem ao longo dos anos perdendo consideravelmente sua arborização urbana, tornando-se cidades áridas em suas principais ruas e avenidas.

Para reverter esse quadro, os municípios devem elaborar os seus “Planos de Arborização Urbana” instrumento de planejamento municipal para a implantação da política de plantio, preservação, manejo e expansão da arborização da área urbana do município.

AVENIDA-GOIANIA

Exemplo bom de arborização – Avenida em Goiânia – GO.

O referido plano deve apontar diretrizes quanto ao planejamento, manutenção e manejo da arborização, estabelecendo um “Programa de Arborização”, considerando as características de cada região da área urbana do município, respeitando o planejamento viário previsto da área urbana e planejando a arborização conjuntamente com os projetos de implantação de infraestrutura urbana.

Os Municípios devem condicionar a aprovação dos projetos de loteamentos urbanos à aprovação do respectivo “Projeto de Arborização Urbana”, que deverá ser realizado por profissional legalmente habilitado e submetido à análise da Secretaria Municipal do Ambiente.

Antes de escolher a melhor espécie, vale a pena se atentar às leis ou regras definidas pelo seu município, ou entrar em contato com a prefeitura local para saber mais e ou solicitar o plantio.

As Secretarias municipais de Meio Ambiente geralmente dispõe em seu quadro profissionais da área, como biólogos ou eng. Florestais, para dar orientações e regras para evitar o crescimento de árvores que possam causar danos às calçadas ou ao tráfego de pessoas.

No Brasil as espécies recomendadas e mais utilizadas na arborização urbana são: Acacia podaliriaefolia – nome popular: Acácia mimosa; Licania tomentosa – nome popular: Oiti; Bauhinia variegata L. – nome popular: Unha-de-vaca, Casco-de-vaca; Brunfelsia uniflora – nome popular: Manacá de jardim; Caesalpinia echinata – nome popular: Pau-brasil; Caesalpinia férrea var. leiostachya – nome popular: Pau-ferro; Caesalpinia peltophoroides – nome popular: Sibipiruna; Caesalpinia pulcherrima – nome popular: Flamboyanzinho ou Flor-de-pavão; Caesalpinia tinctoria – nome popular: Falso-pau-brasil; Calycophyllum spruceanum – nome popular: Pau-mulato; Cassia cana – nome popular: Cássia dourada ou cana; Cassia excelsa -nome popular: Cássia excelsa; Cassia ferrugínea – nome popular: Chuva-de-ouro, Cássia imperial; Cassia fistula – nome popular: Canafístula ou Cássia fístula; Cassia grandis – nome popular: Cássia rosa ou Cássia grande; Delonix regia – nome popular: Flamboyant; Grevillea forsteri- nome popular: Grevílea de jardim; Hibiscus pernambucensis Nome popular: Algodão da praia; Hibiscus rosa-sinense – nome popular: Hibisco; Holocalix glaziovii – nome popular: Alecrim de Campinas; Jacaranda brasiliana – nome popular: Jacarandá de jardim; Lagerstroemia indica – nome popular: Resedá, Extremosa ou Julieta; Laurus nobilis – nome popular: Louro; Lecythis pisonis – nome popular: sapucaia; Michelia champaca – nome popular: Magnólia amarela; Murraya exótica – nome popular: Falsa-murta; Plumeria rubra – nome popular: Jasmim-manga; Stenolobium stans – nome popular: Ipê-de-jardim ou Caroba amarela; Sweetia elegans – nome popular: Perobinha-do-campo; Tabebuia alba – nome popular: ipê-da-serra; Tabebuia avellanedae – nome popular: Ipê roxo da casca lisa; Tabebuia chrysotricha – nome popular: Ipê-amarelo-cascudo; Tabebuia heptaphylla – nome popular: Ipê-roxo-sete-folhas; Tabebuia impetiginosa – nome popular: Ipê-roxo; Tabebuia roseo-alba – nome popular: ipê-branco; Tabernaemontana elegans – nome popular: Jasmim do cerrado; Tecoma stans – nome popular: Ipê-mirim; Tibouchina granulosa – nome popular: Quaresmeira rosa.

Na arborização urbana são várias as condições exigidas de uma árvore, a fim de que possa ser utilizada sem acarretar inconvenientes, sendo que, entre as características desejáveis, destacam-se a resistência a pragas e doenças, evitando o uso de produtos fitossanitários muitas vezes desaconselhados em vias públicas, e a velocidade de desenvolvimento média para rápida para que a árvore possa fugir o mais rapidamente possível da sanha dos predadores e também para se recuperar de um acidente em que a poda drástica tenha sido a única opção técnica exigida.

Não se recomenda arborizar as ruas estreitas, ou seja, aquelas com menos de 7m de largura. Quando estas forem largas, deve-se considerar ainda a largura das calçadas de forma a definir o porte da árvore a ser utilizada. Árvores na zona urbana e poda é uma relação tão arraigada na mente das pessoas, que muitas vezes se cometem grandes erros sob a ilusão de estar realizando a prática mais acertada.

A poda de árvores é uma agressão a um organismo vivo – a árvore – que possui estrutura e funções bem definidas e alguns mecanismos e processos de defesa contra seus inimigos naturais. Isto no entanto não significa que a poda deva ser totalmente suprimida.

Nas áreas urbanas é uma prática permanente, que visa garantir um conjunto de árvores vitais, seguras e de aspecto visual agradável.

Para a correta utilização da poda, é necessário reconhecer os tipos básicos de poda em árvores urbanas e utilizar a que for mais recomendada para cada caso.

(*) Biólogo e Consultor Ambiental.

 


No responses yet

abr 21 2017

…AMIGOS OU IRMÃOS? Sérgio Quissak.

Published by under Jornalismo

FOTOS_VERDE

AMIGOS-OU-IRMAOS


No responses yet

abr 21 2017

OS AECISTAS!!!

Published by under Jornalismo

HUMOR_VERDE

CHARGE-DELEGADO

CHARGE-MORO-AROEIRA

 


No responses yet

abr 21 2017

REDESCOBRIMENTO DE SONS E SABORES NO CAIÇARA

Published by under Jornalismo

RESTAURANTE-O-CAICARA

O fim de semana será marcado por música de qualidade, exposição e gastronomia tipicamente caiçara. Feriado de Tiradentes, dia do Descobrimento do Brasil e Dia Nacional do Choro. O Caiçara Restaurante oferece neste final de semana uma ótima oportunidade para redescobrir sons e sabores.

A programação especialmente brasileiríssima acontece na Beira Rio, em Barra de São João. Sexta (21/03), a partir das 20h30, a força, a beleza e o talento musical da cantora, compositora e instrumentista Sarah Dhy.

Ela fez sua primeira apresentação no Festival de Música da Escola Rui Barbosa em Cabo Frio, estudou na Escola Villa Lobos e maneja bem o violão clássico, a percussão e o violoncelo. Sarah esteve na Europa em 2010 e cantou com músicos brasileiros, na Suíça e Alemanha.

No sábado (22/04), a edição do Pôr do Sol Musical do Caiçara comemora os 120 anos de Pixinguinha (considerado o pai da música brasileira) e o Dia Nacional do Choro (23/4). O Grupo Tradição Choro vai se apresentar a partir das 16h. É composto por Luiz Felipe Oliveira (flauta e saxofone), André Bellieny (violão 7 cordas), Marcio de Moraes (cavaquinho) e Anderson Santos (percussão). Concomitante, o fotógrafo e escritor Maurício Rocha vai expor câmeras fotográficas antigas.

O evento proporciona momentos inesquecíveis ao pôr do sol. Instalado de frente para o Rio São João, em um recanto bucólico, cheio de casarios centenários, o Caiçara Restaurante oferece pratos a base de peixes, frutos do mar, crustáceos, além de petiscos e drinks especiais. Rua Andrade e Silva 1.316, tel. tel. (22) 2774-5248, Beira Rio, Barra de São João (Distrito de Casimiro de Abreu).


No responses yet

abr 21 2017

VÂNDALOS DERRUBARAM A PIRA DA CORRUPÇÃO! Luiz Antônio N. Guia.

Published by under Jornalismo

CRO_E_POE_VERDE

TACHO

O Night Club, em São Cristovão, foi dos melhores acontecimentos da noite cabofriense. Lotava! Cerveja gelada, acompanhado daquele “bate-coxa”, mais do que esperto e do “miudinho”, que é pra quem sabe dançar samba.

Para os neófitos e incapazes como eu, recomendo um vídeo, que rola no youtube, com Paulinho da Viola e a Velha Guarda da Portela. Ali se aprende o que é sambar miudinho. Tem outro, com Jorge Aragão e o grupo Fundo de Quintal, que também é muito bom.

O problema é que sempre fui muito duro, sem jeito e deixava pra Babade a tarefa de fazer as firulas com as meninas.

Entre uma cerveja e outra, uma cachacinha de molhar o beiço ou mesmo a goela.

No final da noite, sem um tostão, voltávamos pra casa a pé ou encontrávamos uma carona piedosa e salvadora. Mas tem dias, que além de não rolar nada de especial, nem a carona pintava. O jeito era sair se arrastando até o centro da cidade.

Nessa época, Ivo Saldanha, tinha lançado perto da Rodoviária, o Muro do Amor, que tinha uma baita árvore e onde ele atendia centenas de pessoas diariamente. Hoje é um prédio horrendo entre tantos que aos poucos transformam Cabo Frio em uma miniatura da região metropolitana do Rio de Janeiro.

A política fervia. A população ainda se chocava com as denúncias de corrupção no país e na cidade. Navegando na maré, Ivo, criou a “Pira da Corrupção” onde iria queimar e transformar em cinzas toda a corrupção acontecida na cidade. A “pira” propriamente dita era um grande tacho, grande mesmo, que ficava no centro do terreno.

Quando no meio da madrugada vimos aquele tacho iluminado, não resistimos à tentação. Pulamos o “Muro do Amor”, derrubamos a pesada “pira” do pedestal (não sei como) e do jeito que dava, saímos correndo madrugada adentro.

No dia seguinte, a manchete da Folha dos Lagos: vândalos derrubaram a “Pira da Corrupção”!

TOTONHO-CHARME

Luiz Antônio N. Guia.


2 responses so far

Next »