dez 01 2017

ENCONTRA CANTOS – Maestro Maurício Durão.

Published by under Jornalismo

CORAL1


No responses yet

dez 01 2017

BUITRAGO IMÓVEIS

Published by under Jornalismo

BUITRAGO_IMOVEIS


No responses yet

dez 01 2017

FEIRA DE ORGÂNICOS CERTIFICADOS

Published by under Jornalismo

ORGANICOS


No responses yet

nov 30 2017

NOTÍCIA & OPINIÃO.

Published by under Jornalismo

LIXO

Lixo vale mais que a Educação.

Em Cabo Frio e especialmente no governo do prefeito que disse a épica frase farinha pouca meu pirão primeiro o lixo vale bem mais que a educação do povo. Não é por acaso que Marquinhos Mendes é do PMDB de Luiz Fernando Pezão e aliado muito discreto de Alair Corrêa, do PP de Francisco Dornelles.

Coisas de Marquinhos/Alair.

A proposta orçamentária do governo de Marquinhos Mendes (PMDB) é de envergonhar qualquer cidadão responsável e que paga seus impostos, com o suor do seu trabalho. Retirar 57 milhões da educação e aumentar a grana da ex-falimentar Comsercaf em 116 milhões de reais, é um absurdo.

Hora de diminuir despesas.

Apesar de ser candidato a uma poltrona na Assembleia Legislativa, o presidente da câmara não se deu conta que o período da “farra com os royalties” passou. Está na hora de economizar e não aumentar o orçamento do legislativo municipal. O bolso do cidadão-contribuinte está pesado.

Ilustre membro da parentada.

O vereador Aquiles Barreto, apesar de mocinho, já passou pelo PSB, SD (o partido de Paulinho da Força) e agora no PRB (o partido da Universal do Reino de Deus). O vereador é ilustre membro da parentada, que está no poder e pupilo dedicado do prefeito Marquinhos Mendes (PMDB).

De Iguaba?

Na entrevista concedida ontem a InterTV sobre o orçamento não apareceu o secretário de fazenda Clésio Guimarães Faria, que sempre é escalado para descascar pepinos. Deu as caras um certo subsecretário, que ninguém no meio político cabofriense sabe quem é, mas dizem que é de Iguaba.

De olho na eleição!

AQUILES_BARRETO_4  &  CARLOS_VICTOR_3

Quem sabe o subsecretário faz parte do processo de arregimentação de cabos eleitorais da eleição para a Assembleia Legislativa (Aquiles Barreto) e Câmara Federal (Carlos Victor Mendes)? O tempo, só o tempo, dirá!

Magno, o oásis.

CARLOS_MAGNO_4

O governo de Marquinhos Mendes (PMDB) está tão aperreado com questões jurídicas, que a qualquer notícia de Brasília, os “cardeais” correm para o escritório do ilustre aldeense, o advogado Carlos Magno. O tal do “Efeito Barroso” deixa a turma nervosa e cheia de siricuticos.

Turismo sem banheiros públicos.

BANHEIROS

A secretaria municipal de turismo e a comunicação social até que se esforçam, mas está difícil. Como fazer turismo na cidade sem banheiros públicos? Nem na Praça Porto Rocha e muito menos nos “Quiosques de Ouro”, na orla da Praia do Forte. Sem o básico não dá! A ACIA não se movimenta? Não vai mais assumir os banheiros públicos?

Parcerias, que podem ser legais.

RAFAEL_PECANHA_3

O vereador Rafael Peçanha (PDT), numa boa iniciativa, colocou no orçamento a restauração da Fonte do Itajuru, que está afundando, apesar da secretaria de turismo anunciá-la como patrimônio do município. O governo municipal que tão demagogicamente fala em parcerias público/privadas, bem que poderia usá-las para recuperar o patrimônio histórico/cultural da cidade.

Transparência, não é?

Por falar em parcerias, o governo municipal anunciou que a grande cantora Alcione, a “Marrom” teve o seu show bancado por uma empresa privada. Tudo bem! O município deve agradecer tamanha benemerência desde que não tenha nada em troca e tudo aconteça de forma absolutamente transparente. Não é?


2 responses so far

nov 30 2017

ENCONTRA CANTOS – Maestro Maurício Durão.

Published by under Jornalismo

CORAL1


No responses yet

nov 30 2017

ANTÔNIO DE GASTÃO – MEMÓRIA É TRABALHO

Published by under Jornalismo

ANTONIOGASTAO-2

As apresentações serão nos dias 2 e 3 de dezembro, sábado e domingo, às 19h com entrada franca.


No responses yet

nov 30 2017

BUITRAGO IMÓVEIS.

Published by under Jornalismo

BUITRAGO_IMOVEIS


No responses yet

nov 30 2017

INVISTA EM SEUS SONHOS.

Published by under Jornalismo

LENILZA-VINAGRE


No responses yet

nov 30 2017

PALESTRA DE ÂNGELO AZEVEDO – 13 DE DEZEMBRO.

Published by under Jornalismo

PALESTRA


No responses yet

nov 30 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_5


No responses yet

nov 29 2017

NOTÍCIA & OPINIÃO.

Published by under Jornalismo

RESERVA-DE-DUNAS-DO-PERO

Enganando a população.

PAPAEL

A Comissão Estadual de Controle Ambiental (CECA) renovou licença ambiental para a ocupação do campo de dunas do Peró, em 22 de agosto, por cinco anos. Todo mundo sabe que os especuladores imobiliários estão de olho no gigantesco loteamento de 1.044 unidades, o empreendimento hoteleiro é só para enganar a população.

Campanha publicitária.

CARLOS_VICTOR_3

Na primeira tentativa de ocupar o Campo de Dunas do Peró foi lançada imensa campanha publicitária, com o apoio da “mídia amiga”. Na época, o “grande irmão” Carlos Victor Mendes, o Vivique, dizia que o empreendimento do Mediterranée iria criar cerca de 10 mil empregos. O loteamento de 1.044 unidades não era divulgado.

Qual a posição da coordenadoria do meio ambiente?

EDUARDO_PIMENTA

O trabalho e o esforço incessante de pequeno, mas atuante, grupo de ambientalistas de Cabo Frio, Búzios e Rio de Janeiro impediu a ocupação e loteamento do Campo de Dunas do Peró. Os ambientalistas aguardam a posição, em nota oficial, da coordenadoria municipal do meio ambiente de Cabo Frio.

O papo é outro.

É em um momento dessa gravidade para o município que se vê o peso do erro de ter se colocado a coordenadoria do meio ambiente sob as ordens da secretaria municipal de desenvolvimento. Cláudio Bastos, o “supersecretário”, nada entende de Campo de Dunas do Peró e nem se interessa pelo assunto: o papo dele é outro.

Sem voto, mas com poder.

CLAUDIO_BASTOS_1

O secretário municipal Cláudio Bastos, coordenador do PRB na Região dos Lagos, não tem voto, mas controla com “unhas e dentes” o partido, que representa os interesses do grupo de Edir Macedo. Estava no governo de Alair e ficou ainda mais forte no governo de Marquinhos Mendes.

“Armas e bagagens”

O PMDB e o PP são os partidos políticos, que no Estado do Rio, despertam maior rejeição da população. A turma que gosta de estar grudada ao poder, sob qualquer circunstância, está de “armas e bagagens” prontas para o PRB.

Subserviência & Passividade.

A formação na legislatura passada, da câmara de vereadores de Cabo Frio, deu origem a expressão “câmara do silêncio”, tal a subserviência e passividade em relação ao prefeito Alair Francisco (PP). Não há dúvida que a composição atual faz mais “tipo”, mas no dia a dia, com exceção do vereador Rafael Peçanha (PDT) é muito semelhante a anterior.

“Leite de pedra”

TOMAS_BAGGIO_1

Usando a velha expressão popular “dar a mão a palmatória”, o Jornal do Totonho tem que reconhecer o trabalho da comunicação social da prefeitura de Cabo Frio. Não é para menos, Tomás Baggio é profissional da maior categoria correção: está tirando “leite de pedra” de um governo, que pouco tem a mostrar.

Desrespeito pelo outro.

As redes sociais da internet se transformaram em “zonas de linchamento” onde não se mede palavras, com absoluto desrespeito pelo outro. A disputa política, extremamente saudável e necessária, se transformou em troca de palavrões, acusações pesadas e gratuitas. Está cada vez mais difícil aturar.

Papo animado.

No fim de tarde, em café no centro da cidade, encontraram-se em animado bate papo o empresário Jefferson Buitrago, o vereador Rafael Peçanha e o ex-deputado federal Paulo César Guia. Também passou pelo café o presidente da Comsercaf, Cláudio Moreira.


One response so far

nov 29 2017

ENCONTRA CANTOS – Maestro Maurício Durão.

Published by under Jornalismo

CORAL1


No responses yet

nov 29 2017

PALESTRA DE ÂNGELO AZEVEDO – 13 DE DEZEMBRO – 19 HORAS.

Published by under Jornalismo

PALESTRA


No responses yet

nov 29 2017

NADA MUDA SE VOCÊ NÃO MUDAR.

Published by under Jornalismo

IVA

 

O evento é gratuito, mas pede-se a doação de 2kg de alimentos para o GAI – Grupo de Apoio aos Idosos de Cabo Frio. Rua José Bonifácio, 28, Centro.


No responses yet

nov 29 2017

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Published by under Jornalismo

CHARGES VERMELHO

RP

RP-1

RP-4

RP~3

RP-2


No responses yet

nov 29 2017

O EXTRAORDINÁRIO MÉTODO EFP DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS.

Published by under Jornalismo

CELIA


No responses yet

nov 29 2017

BUITRAGO IMÓVEIS

Published by under Jornalismo

BUITRAGO_IMOVEIS


No responses yet

nov 29 2017

INVISTA EM SEUS SONHOS.

Published by under Jornalismo

LENILZA-VINAGRE


No responses yet

nov 28 2017

MARQUINHOS DE MALAS PRONTAS

Published by under Jornalismo

MALAS-PRONTAS

MARQUINHOS DE MALAS PRONTAS

O prefeito Marquinhos Mendes (PMDB) está aguardando o desenrolar da situação da ‘Trinca do PMDB’, além dos seus próprios problemas no STF e TSE, para ver o caminho a seguir. Esperto, quer se livrar do PMDB, que está muito mal junto à opinião pública, tanto no país, como no Estado do Rio. Aguarda momento melhor para não dar a impressão de “traição” contra o partido político, que sempre o acolheu, ou mesmo de “medo” e “oportunismo”. Embora todos esses itens pesem na balança, Marquinhos já encaminhou o seu pupilo para a legenda controlada pelo autoproclamado Bispo Edir Macedo, o PRB.

 


No responses yet

nov 28 2017

NOTÍCIA & OPINIÃO

Published by under Jornalismo

PMCF

Governo e Câmara se omitem no ‘Escândalo no RH’

O prefeito Marquinhos Mendes (PMDB) tenta esconder de todas as formas o ‘Escândalo do RH’, quando foram descobertos os salários miraculosos no executivo. A câmara também não apura nada e cada vez está mais semelhante a anterior. Resta à sociedade ficar atenta a denúncia feita pelo vereador Rafael Peçanha (PDT) ao Ministério Público.

Irmãos siameses

ALAIR-SONINHO-2  &  MARQUINHO_MENDES11

Na questão dos super salários no RH apareceu o nome do ex-prefeito e “mestre”, Alair Corrêa (PP), sempre ligado ao prefeito e “aluno” Marquinhos Mendes (PMDB). Os dois, Alair e Marquinhos, são tão ligados, que parecem irmãos siameses. Procuram esconder ao máximo, mas não conseguem.

O 2º poder.

CAMARA

O “silêncio obsequioso” característica da câmara (2013/2016) começa a se repetir na nova câmara, um pouco mais agitada, mas subserviente ao executivo. Aquela frase cunhada pelo ex-presidente Marcello Corrêa (PP), que o legislativo municipal é o segundo poder, se torna cada dia mais verdadeira.

Lideranças emergentes – 1.

MIGUEL_ALENCAR_1  &  RAFAEL_PECANHA_10

Na câmara de vereadores de Cabo Frio duas lideranças aparecem na cena política: Miguel Alencar (PPS) e Rafael Peçanha (PDT). O primeiro, na base governista, pouco atingido pelo intenso desgaste do governo Marquinhos Mendes. O desgaste atinge mais ao presidente da câmara Aquiles Barreto (PRB).

Lideranças emergentes – 2

Surfando na oposição, o vereador Rafael Peçanha (PDT), que tem se revelado consistente na defesa dos servidores públicos e hábil para falar a outros setores da sociedade, em particular as camadas médias urbanas.

A omissão da ‘mídia amiga’.

Quando a “mídia amiga” vai entrevistar para valer Marquinhos Mendes a respeito do ‘Escândalo do PMDB’? Afinal, Marquinhos é o prefeito do município, membro do PMDB e o principal aliado político de Sérgio Cabral Filho e Jorge Picciani, na cidade. O que explica essa omissão da ‘mídia amiga’?

Reconstruir o que?

É gritante a desconexão entre os discursos de campanha e a realidade do dia a dia do governo Marquinhos Mendes (PMDB). Na campanha o candidato falava sobre a ‘Reconstrução’, mas o governo até o momento não respondeu a uma pergunta: reconstruir o que?

Vitória da irresponsabilidade.

Através de um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) com o Ministério Público, o governo de Marquinhos Mendes (PMDB) cedeu à pressão dos vereadores e barraqueiros: gás nas areias das praias de Cabo Frio. Em meio a milhares de pessoas, na alta temporada, vai se cozinhar, usando bujão de gás, com sol a pino: a mais pura irresponsabilidade.

Quem perde é a população.

Para os barraqueiros o negócio é grana, em curto prazo. Para os vereadores, o negócio é voto. Para o governo, voto e menos aporrinhação. No final das contas só a população perde, mas será que alguém, nos meios oficiais, está preocupado? Claro que não!


2 responses so far

nov 28 2017

PREVIDÊNCIA SOCIAL É UM DIREITO DA CIDADANIA. Cláudio Leitão

Published by under Jornalismo

ARTIGO VERMELHO

CLAUDIO_LEITAO_1

PREVIDÊNCIA SOCIAL É UM DIREITO DA CIDADANIA.

Cláudio Leitão (*)

 

Uma intensa campanha de ataque à previdência pública tem se repetido no Brasil nos últimos 30 anos. Foi criada no início pela direita reacionária e conservadora, e infelizmente, teve apoio de “progressistas” como FHC, Lula e Dilma. O auge destes ataques acontece agora neste “desgoverno” Temer.

Dilma, inclusive, chegou a vetar uma medida aprovada pelo Congresso que amenizava os danos do fator previdenciário criado por FHC: a fórmula de aposentadoria 85/95, que significa a soma do tempo de trabalho com a idade para mulheres e homens, respectivamente. O Congresso depois derrubou o veto “contrariando” Dilma. Esta fórmula está em vigor atualmente.

Este foi mais um dos vários atos de traição que o PT praticou contra a classe trabalhadora na área da previdência social, pois em 2010, no dia da estreia do Brasil na Copa, nosso ex-presidente operário, Lula da Silva, também vetou o fim do fator aprovado pelo Congresso. Depois, este mesmo famigerado congresso não derrubou o veto. Parece que Lula “tinha mais apelo” entre os inimigos do povo.

Importante frisar que o PT foi contra a adoção do fator em 1998, repito, criação do governo do PSDB de FHC. Chegou a ajuizar uma ação de inconstitucionalidade no STF contra a medida. Discursos calorosos e raivosos foram feitos no Congresso por seus deputados e senadores.

Aliás, este foi o fato gerador para a criação do PSOL por dissidências de parlamentares que não quiseram votar contra os trabalhadores quando o PT aprofundou estas reformas na previdência taxando os inativos. O PT era contra fora do poder e de forma canalha e traiçoeira ficou a favor quando governo.

Estes segmentos costumam dizer que a Constituição de 1988 teria criado obrigações impagáveis e que se torna necessário modificar sua essência populista e perdulária. Um dos alvos é a Previdência Social e de forma mais abrangente todo o sistema da Seguridade Social.

Políticas elitistas e privatistas tentam atacar um alargamento dos direitos sociais e da cidadania que a nossa Carta Magna traz em seu bojo, fruto do sangue, suor, lágrimas e de muita luta por parte dos trabalhadores.

A Seguridade Social composta pela Previdência Social, Assistência Social e Saúde, têm fontes de financiamento amplas e diversificadas, constituindo-se no segundo maior orçamento do setor público. O primeiro, infelizmente, é o pagamento dos juros da dívida pública, uma questão que sempre passa ao largo das discussões por que não interessa ao “status quo“ desenvolver qualquer debate. Segue comprometendo praticamente a metade do Orçamento Geral da União, inviabilizando uma série de políticas públicas essenciais ao país, principalmente na saúde e na educação.

Estes valores do sistema previdenciário acabam se constituindo em objeto de cobiça para os representantes do capital financeiro, escondendo lá no fundo, um desejo de ver a previdência privada crescer sob a falácia de um suposto déficit da previdência pública. Fato que vem acontecendo ao longo destas últimas décadas.

A Previdência Social não deve ser analisada isoladamente, e sim, todo o contexto da Seguridade Social que é seguramente superavitária, já que fontes de financiamento específicas foram estabelecidas para este fim.

A construção do discurso conservador que a Lei Maior criava obstáculos a administração pública ocorreu com o processo de financeirização da economia brasileira, a partir das seguidas crises iniciados nos Governos Sarney e Collor de Mello. Reformas urgentes na Seguridade Social eram a tônica destes discursos, fato que ocorre até hoje em pleno governo golpista de Michel Temer.

Processo inflacionário, âncora cambial, taxas de juros elevadas, liberdade do fluxo de capitais, elevado grau de abertura econômica, desregulamentação do sistema tributário, déficit no balanço de pagamentos, etc, todos são problemas menores, segundo a avaliação destes setores. Os ataques à Previdência são sempre limitados aos aspectos financeiros, contábeis e atuariais, nunca levando em conta o seu caráter social e distributivo de renda. O governo neoliberal de FHC iniciou e hoje no “desgoverno” Temer temos o ápice destes discursos.

Veio a primeira reforma, criando o fatídico “fator previdenciário” , um mecanismo surrupiador de direitos conquistados. Criou-se a DRU – Desvinculação de Receitas da União, que permitiu ao governo retirar 20% de qualquer imposto ou contribuição, destinar ao Tesouro Nacional e alocar estes recursos ao bel prazer do governante. Hoje, o governo ilegítimo de Temer conseguiu com apoio do Congresso elevar este percentual para 30%. A maior parte destes recursos se destina ao pagamento da dívida pública.

PIS/COFINS, a extinta CPMF, CSLL, CIDE, receitas de prognósticos lotéricos, dentre outros, que eram fontes de financiamento da Seguridade Social foram afetados e tiveram desvios de finalidade e ajudaram a bancar o tal falado superávit primário. Hoje, nem isso, pois mesmo com o elevado pagamento de juros “conseguiram” criar um déficit orçamentário gigantesco.

Não tenho e nunca tive a pretensão de ser dono da verdade, apenas luto para que um tema como este possa ser de mais domínio por parte da população, principalmente, aquela que é mais afetada por este processo. Precisamos de mais educação e informação para o debate. Uma CPI recentemente concluída pelo Senado e que não teve nenhum destaque na mídia nacional concluiu mais uma vez não existir déficit na previdência pública brasileira. (https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/10/24/veja-os-principais-pontos-do-relatorio-da-cpi-da-previdencia)

A superação deste modelo econômico exige luta política por parte dos diversos segmentos da classe trabalhadora. É preciso fortalecer as conquistas dos movimentos populares do passado. A Constituição de 1988 e seu mecanismo de Seguridade Social são partes desta vitória. Previdência Social é um direito da cidadania e não prestação de serviços.

Depois ainda dizem que não existe mais direita e esquerda na política e que acabou a luta de classes. Esta luta está mais viva do que nunca !
“A história da sociedade até os nossos dias é a história da luta de classes.”
Karl Marx

(*) Economista, professor de História e militante do PSOL.


No responses yet

nov 27 2017

NOTÍCIA & OPINIÃO.

Published by under Jornalismo

JP

A base do governo de Marquinhos.

O governo de Marquinhos Mendes é formado por uma miríade de partidos, sendo os dois mais importantes o PRB de Crivella e Edir Macedo e o PMDB da Família Picciani, Moreira Franco, Michel Temer, Sérgio Cabral Filho e Eduardo Cunha.

EM

Cresce o PRB.

No momento, o desgaste do PMDB em todo o país, especialmente no Estado do Rio, está levando muita gente a migrar para o PRB. O partido representa os interesses da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) leia-se o autoproclamado Bispo Edir Macedo. Quem sabe vai fazer uma “fogueira santa”, na administração pública.

Indignação seletiva & Oportunismo.

PRB-SANTAHELENA-SABADO

Em entrevista a Folha dos Lagos, o secretário municipal de desenvolvimento Cláudio Bastos disse: A gente lamenta o que acontece com o PMDB e com o Estado do Rio. Não vamos condenar por antecipação, cabe a nós ocupar esse espaço.

O arrependimento de Janio.

JANIO_MENDES_PEQUENO

O deputado cabofriense tem sofrido duras críticas por seu posicionamento, na Alerj, a favor da libertação da trinca do PMDB: Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. Na edição de fim de semana da Folha dos Lagos Janio fez autocrítica e declarou arrependimento do seu voto legalista: o estrago foi grande!

Janio X Marquinhos.

MARQUINHO_MENDES6

O erro político do deputado foi saudado com fogos de artifício pelo grupo político de Marquinhos Mendes, companheiro e um dos principais aliados de Jorge Picciani, no PMDB, na Região dos Lagos. Marquinhos está cercado no STF, TSE, respondendo a dezenas de processos na justiça e sofrendo o cerco político dos sindicatos, com os quais não cumpriu sua palavra. Janio acabou por dar a Marquinhos o oxigênio que precisava para respirar e sobreviver.

“Andorinhas” longe do alpiste.

O grupo político mais chegado ao ex-vereador Adriano Moreno (REDE) está preocupado com a possibilidade de um “longo inverno”, temendo que boa parte das “andorinhas” voe para paragens mais próximas onde à quantidade de alpiste é maior. Importante lembrar que quase a totalidade das “andorinhas” veio do “alairzismo” e essa turma não aguenta ficar por muito tempo longe do alpiste, sai logo em revoada.

Querendo verniz.

GARGALHADA

Os “alairzistas”, inclusive da “parentada”, tem a cara de pau de postar nas redes sociais da internet artigos e observações em defesa da moral, dos bons costumes, em defesa do meio ambiente e da cultura. Tentam arrumar algum “verniz”, que possa justificar a permanência na vida política.

“Mudamos”

RP

O vereador Rafael Peçanha (PDT) propõe projeto para que aplicativo “Mudamos” e outras plataformas transmitam ideias legislativas da população para a Câmara de Cabo Frio.

http://www.rafaelpecanha.com/2017/11/vereador-propoe-projeto-em-que.html?m=1

 


2 responses so far

nov 27 2017

CHARGES

Published by under Jornalismo

CHARGES VERMELHO

CHARGE-1

CHARGE-2

CHARGE-3


No responses yet

nov 27 2017

EM BÚZIOS TERRA BOA TEM DONO. Manoel Eduardo da Silva.

Published by under Jornalismo

ARTIGO VERMELHO

EM BÚZIOS TERRA BOA TEM DONO.

Os grileiros deveriam tomar conhecimento do conjunto de normas que tratam da transferência do patrimônio (TERRA), o chamado direito das sucessões. Onde o patrimônio deixado por uma pessoa falecida é obrigado a ser dividido entre seus herdeiros, que são definidos por lei: ‘que em primeiro vêm os chamados descendentes, ou seja, filhos, netos e bisnetos, mais, o cônjuge e que não havendo descendentes, os chamados serão os (pais e na ausência destes, vêm avós e bisavós)’. Por tanto, não se deva tentar grilar patrimônio ou até mesmo vender o que não lhes pertence. E mas, ainda, pode haver a figura dos herdeiros colaterais: (irmãos – sobrinhos – tios e primos). Pense, antes de grilar. Pois, terra boa tem dono e não se deve grilar, por outro lado à administração pública que goza do ‘poder de polícia administrativa’ não tem a competência de cuidar das questões sucessórias de direitos e assim deva se abster, não apoiando a grilagem de terras dentro da circunscrição municipal de Armação dos Búzios.

MANOEL-EDUARDO-MARRECO

Manoel Eduardo da Silva (Marreco).

 

 


No responses yet

nov 27 2017

INVISTA EM SEUS SONHOS.

Published by under Jornalismo

LENILZA-VINAGRE


No responses yet

nov 27 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_5


No responses yet

nov 24 2017

NOTÍCIA & OPINIÃO

Published by under Jornalismo

DT

15 minutos de fama.

O prefeito de Cabo Frio finalmente teve os seus 15 minutos de fama para a posteridade. Em menos de uma semana apareceu no Fantástico, no Jornal Nacional, no Jornal da Globo e uma tarde inteira na TV Justiça.

Brincadeira do STF.

Os vazamentos seletivos são cada vez mais comuns, tanto que os jornalistas informavam com antecipação que haveria pedido de vistas. A solicitação de vistas ao processo feita pelo ministro Dias Toffoli só veio depois.

É demais!

Cabo Frio e Búzios só aparecem no noticiário nacional na pauta das más notícias. Em Búzios, o governo de André Granado (PMDB) acaba de ter suas contas de 2016 rejeitadas pelo TCE. Em Cabo Frio, Marquinhos Mendes (PMDB) aparece como exemplo do mau uso do foro privilegiado. É demais!

Coincidência?

ANDRE-GRANADO-3  picciani1  MM1

André Granado e Marquinhos Mendes são do PMDB, ambos pertencem ao grupo político liderado pelo presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani. Será uma desagradável coincidência?

Novo jornalista na praça?

Os textos são fracos, a grafia causa vergonha a qualquer alfabetizado, mas o ex-vereador Felipe Lopes é fã incondicional do blog Búzios Paralelo. Deveria passar a escrever nele, assinando é claro.

Desgaste político.

O desgaste político de Marquinhos Mendes (PMDB) se aproxima ao do seu “professor”, o “velho morubixaba”. Os nomes do atual e do ex-prefeito estão em “bocas de matildes”, ou seja, caíram na boca do povo. A população perdeu o medo de “falar mal” dos dois.

Repúdio da sociedade.

Não se sabe o que vem por aí, mas uma coisa é certa, ninguém aguenta mais essas duas figuras pequenas da política cabofriense. Na última tentativa de manter o quadro patético de governo X oposição entre os dois não deu certo. O repúdio veio de praticamente toda a sociedade.

Marquinhos: a “mídia amiga” acudiu.

Por incrível que possa parecer, mas por motivos que todos conhecem, a “mídia amiga” (não seria de cócoras?) correu para acudir o prefeito Marquinhos Mendes (PMDB), que vive momento de grande impopularidade. Não parece que está resolvendo.

Ibascaf: voto direto!

Até quando o Ibascaf vai ser administrado por indicados políticos do prefeito de plantão? Não estaria na hora da diretoria do Ibascaf ser eleita por voto direto dos servidores, eles sim os verdadeiros donos do instituto? Por que o assunto não entra na pauta dos sindicatos?

O mesmo DNA.

Muita gente indicada por Alair Corrêa (PP) foi mantida em cargos comissionados (portarias) no governo do “aluno”, Marquinhos Mendes (PMDB). Deve ser uma questão de continuidade política e administrativa. Alguma dúvida?

TOTONHO_COM_BARBA_1

Luiz Antônio Nogueira da Guia.


One response so far

nov 24 2017

HOMENAGEM AO CINEASTA MILTON ALENCAR JÚNIOR.

Published by under Jornalismo

MA


No responses yet

nov 24 2017

DE OLHO VIVO NA POLÍTICA

Published by under Jornalismo

MIDIA-4

DE NOVO - Como tem acontecido nos últimos tempos, mais uma vez Cabo Frio em rede nacional. Jornal Nacional, Globo News, Band, Band News, etc, mostram o atual Prefeito e seu processo como referência negativa do Foro Privilegiado.

COMO É? – Quando o político é acusado de compra de voto, são abertos 2 processos: um eleitoral e outro criminal. O processo eleitoral, julgado e transitado em última instância (TSE), condenou o Prefeito de Cabo Frio e o tornou inelegível.

DO 1º AO ÚLTIMO ANDAR - O processo criminal é que está no “elevador” do sistema de Foro Privilegiado. A palavra “elevador” foi utilizada pelo Ministro Marco Aurélio Mello, no Supremo Tribunal Federal (STF) para mostrar o “passeio” do processo.

ACORDÃO – Depois que o Ministro Alexandre de Moraes pediu vista e tirou o processo da pauta, devolvendo após 4 meses, o Ministro Toffoli pede vista, como não tivesse tido tempo para analisar o processo. Esse pedido, antecipado pela mídia, vem atender um solicitação de Temer, de modo a dar tempo a Câmara Federal para criar uma forma de defender os ex-presidentes dentro do privilégio do foro.

C’EST FINI – A expressão francesa “c’est fini”, significa “é o fim”. A última operação da PF levou esse nome, pois foi o fim da estrada de toda a cúpula política do PMDB do RJ, onde foram incluídos empresários e os ex-governadores Garotinho e Rosinha. Retornou a confraria no início da noite, a ex-prefeito dama Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral

ALERJ E SUAS COMISSÕES – As mais importantes comissões existentes no legislativo são a Comissão de Constituição e Justiça e a Comissão de Orçamento e Finanças. Os presidentes dessas comissões são Edson Albertassi e Paulo Melo, respectivamente. Os dois estão presos.

 


No responses yet

nov 24 2017

SOBRE O NOTICIÁRIO POLÍTICO DOS DIAS ATUAIS. Cláudio Leitão

Published by under Jornalismo

ARTIGO VERMELHO

CLAUDIO_LEITAO_1

SOBRE O NOTICIÁRIO POLÍTICO DOS DIAS ATUAIS.

Cláudio Leitão (*)

Várias pessoas comentaram comigo por esses dias de como são vergonhosas, enfadonhas e repetitivas as notícias sobre política que estão em todas as mídias regionais e nacionais. Sem tirar a razão destas pessoas, respondi que as notícias derivam dos atos e ações políticas praticadas por agentes eleitos pela população. Logo, a responsabilidade sobre o que ocorre de bom ou ruim nas questões políticas da cidade, do estado e do país deve ser compartilhada pelos eleitores, afinal como diz a sabedoria popular “políticos não vêm de Marte”.

A vitória de alguns maus políticos reflete a vontade popular da maioria. O engraçado de tudo isso é que depois de votar sucessivas vezes neste mesmo político, o eleitor reclama da política de uma maneira geral, esquecendo que esta sucessão de erros também é responsabilidade sua. O modelo e a forma de fazer política não mudarão se continuarmos a ter o mesmo comportamento desatento, pouco observador, sem critério e acharmos que “político é tudo igual” e que é impossível mudar esta realidade.

Um processo de renovação dos quadros políticos é um tema que sempre surge quando estamos nas vésperas de novas eleições. A princípio, não deve ser encarado como uma solução perfeita. Sempre poderemos ter decepções com os novos eleitos. Não há garantias escritas na testa de ninguém. Outro cuidado é verificar se a “cara nova” não representa os velhos interesses de grupos ou políticos já encastelados no poder. Esta é a pior renovação, pois é a novidade do engodo, do embuste e da enganação.

Também não podemos cair naquele argumento reducionista que não devemos reeleger ninguém. Quem faz um bom trabalho e se coloca ao lado do povo trabalhador e da população de modo geral, merece continuar exercendo tal função pública. Estes políticos existem e estão lá nos defendendo, o que precisamos é apurar nosso senso crítico e de cidadania, buscar mais informações e reconhecê-los.

Uma coisa é certa. Nenhuma mudança política virá se continuarmos elegendo sempre os mesmos. Nenhuma mudança virá se não tivermos a coragem e a ousadia de implementarmos um largo processo de renovação, independente dos riscos a serem assumidos.

Já dizia Ghandi no século passado: “Seja você a mudança que quer ver no mundo”. Também podemos refletir sobre uma frase do escritor, poeta e dramaturgo alemão Bertolt Brecht: “Nada deve parecer natural. Nada deve parecer impossível de mudar”.

Entendo que independente da natureza das notícias políticas, se boas ou ruins, devemos conhecê-las, e hoje graças ás redes sociais, o fato torna-se notícia em tempo real. Elas podem nos fazer mudar de opinião sobre alguns temas e vão, aos poucos, nos ajudando a apurar o senso crítico. Lado político todo mundo tem, é legítimo e normal, sob o ponto de vista democrático da “livre opinião”.

Aqui na cidade você vai encontrar setores da mídia e pessoas que criticam determinados políticos e se omitem na crítica a outros. Você também vai encontrar outros que apenas visam elogiar e ser corrente de transmissão de poder do mandatário de plantão. Algumas notícias tem clara intenção difamatória, com linguagem chula e agressiva, sem apresentar nenhuma prova do que postam e que servem a interesses políticos inconfessáveis.

Enfim, a política, em seu sentido mais amplo e não apenas aplicada a questões partidárias, faz parte do cotidiano de nossas vidas e tudo, tudo mesmo, depende de decisões políticas.

Logo, temos que ir a luta, ter apuro e critério para diminuirmos as possibilidades de errar ao escolhermos nossos representantes, e se for o caso, temos também que aprender com nossos erros. Só não podemos é continuar repetindo-os, pois a história política de nossa cidade, do nosso estado e do nosso país tem sido uma repetição de tragédias e farsas.

“As pessoas tem medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem.”
Chico Buarque de Holanda

(*) Economista, professor de história e militante do PSOL Cabo Frio.


No responses yet

nov 24 2017

O EXTRAORDINÁRIO MÉTODO EFP.

Published by under Jornalismo

CELIA


No responses yet

nov 24 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_5


No responses yet

nov 23 2017

NOTÍCIA & OPINIÃO.

Published by under Jornalismo

MM-PMDB

Sem solidariedade?

Quando o prefeito Marquinhos Mendes (PMDB) vai ao Rio fazer uma visita, a Benfica, ao deputado Jorge Picciani? Afinal é um companheiro e líder do seu partido, o PMDB e até o momento o prefeito de Cabo Frio não deu nenhuma declaração de solidariedade.

Marquinhos continua apoiando Leonardo?

O prefeito de Cabo Frio havia acordado o seu apoio político a reeleição para a câmara federal ao deputado Leonardo Picciani (PMDB). O atual ministro dos esportes, também denunciado pelo MPF, é filho do presidente da Assembleia Legislativa, que no momento se encontra em Benfica.

Sem sono!

A situação jurídica do prefeito Marquinhos Mendes (PMDB) está deixando sem sono as principais cabeças do governo. Caso a “modulação” do STF mantenha a extensão da punibilidade da Lei da Ficha Limpa para oito anos, muita gente vai ter que procurar outra coisa para fazer.

Marquinhos não é questionado pela “mídia amiga”

O prefeito de Cabo Frio nunca foi questionado pela “mídia amiga” a respeito do significado da frase “farinha pouca meu pirão primeiro”. Alguma relação com o “Escândalo do RH”? E os célebres “contratos emergenciais”, a “mídia amiga” esqueceu ou nunca lembrou de verdade?

É uma graça!

Olha que a lista de processos é grande, diríamos, majestosa. Mesmo assim o prefeito segue “impávido & colosso, sem ser incomodado. O “Fantástico”, entretanto, obriga a “mídia amiga” a pelo menos citar o “prefeito sorriso”, mas não abre mão de poupá-lo. É uma graça!

Cúmplices.

Alguns vereadores ainda não entenderam que eles representam toda a sociedade e não pequenos grupos de pressão e cabos eleitorais, que lhe garantam uma possível reeleição. O apoio a ambulantes e barraqueiros, que usam gás, nas praias de Cabo Frio é de uma irresponsabilidade sem tamanho. Caso aconteça algum incidente deveriam ser processados criminalmente como cúmplices.

Arrependimento tarda, mas não falha.

Os choques entre os sindicatos dos servidores e o governo de Marquinhos Mendes (PMDB) tendem a se agravar. Mesmo os sindicalistas que apoiaram a campanha de Marquinhos e esvaziaram os movimentos de reivindicações após a vitória eleitoral do atual prefeito, estão arrependidos.

Sepe Lagos: a independência é o que incomoda.

O grande choque do grupo político de Marquinhos Mendes (PMDB) dentro do movimento sindical é com o Sepe Lagos. O sindicato dos profissionais da educação é o mais organizado e aguerrido, que nunca cedeu aos cantos das sereias de qualquer governo. O que incomoda a turma do “farinha pouca meu pirão primeiro” é justamente essa independência.

A “mídia amiga” e a cocada.

A independência do sindicato que representa os professores em relação ao poder constituído faz com que o Sepe Lagos tenha a má vontade da “mídia amiga”. A pergunta é: “amiga” de quem ou de que? Uma “Cocada do Adão” para quem responder certinho.


2 responses so far

nov 23 2017

LICENCIAMENTO AMBIENTAL MUNICIPAL: COMO FAZER FUNCIONAR? – Mario Flavio Moreira (*)

Published by under Jornalismo

ARTIGO VERMELHO

MARIO_FLAVIO_MOREIRA_6

LICENCIAMENTO AMBIENTAL MUNICIPAL: COMO FAZER FUNCIONAR?

Mario Flavio Moreira (*)

O licenciamento ambiental constitui um dos principais instrumentos da Política Nacional do Meio Ambiente e, por força do artigo 23, VI e VII, do texto constitucional, todos os entes federados são, em princípio, competentes para promover licenciamento ambiental. A atribuição de competência comum em matéria ambiental gera, de forma recorrente, dissensos na definição da entidade federativa competente para realizar o licenciamento de determinado empreendimento ou atividade. Não é rara a situação em que o licenciamento é exigido por mais de uma unidade federativa.

Visando coibir o fenômeno da sobreposição de atuações administrativas, com fundamento no parágrafo único do artigo 23 do texto constitucional, foi editada a Lei Complementar nº 140/2011 que disciplinou os critérios definidores da competência das unidades federativas em matéria de licenciamento ambiental. Nesses termos, o artigo 7º, XIV, e parágrafo único da Lei Complementar nº 140/2011, definem as hipóteses de atividades e empreendimentos subordinados ao licenciamento ambiental em órbita federal. Segundo artigo 8, XIV, da Lei Complementar nº 140/2011, como regra, os Estados-membros ficam responsáveis pelos licenciamentos de atividades e empreendimentos que empregam recursos ambientais, efetiva ou potencialmente poluidores ou capazes de causar degradação ambiental, ressalvadas as competências da União e dos Municípios.

Finalmente, nos moldes do artigo 9º, XIV, “a” e “b” da Lei Complementar nº 140/2011, compete aos Municípios realizar o licenciamento ambiental de atividades e empreendimentos: (a) que causem ou possam causar impacto ambiental local, conforme tipologia definida pelos respectivos Conselhos Estaduais de Meio Ambiente, considerados os critérios de porte, potencial poluidor e natureza da atividade; (b) localizados em unidades de conservação instituídas pelo Município, exceto em Áreas de Proteção Ambiental). Além do estabelecimento dos critérios de repartição das competências em matéria de licenciamento ambiental, a Lei Complementar nº 140/2011 institui a salutar regra de que os empreendimentos e atividades são licenciados ou autorizados, ambientalmente, por um único ente federativo, visando inibir a sujeição de um mesmo empreendimento a múltiplos e paralelos procedimentos administrativos de licenciamento ambiental.

A atribuição de tal competência aos órgãos estaduais busca resguardar o pacto federativo e a segurança jurídica. Afinal, apenas dessa forma é possível conferir tratamento uniforme, dentro de um mesmo Estado-membro, acerca de quais atividades estão sujeitas ao licenciamento local. A partir da elaboração, pelos Estados-membros, de uma lista de empreendimentos que ficam sujeitos ao licenciamento municipal, atribui-se tratamento uniforme à matéria no âmbito do território de um mesmo Estado-membro. Evita-se, assim, o indesejável fenômeno de que certa atividade seja considerada como causadora de impacto ambiental de âmbito local e, portanto, sujeita ao licenciamento ambiental em um determinado Município e não seja assim qualificada por outro Município pertencente ao mesmo Estado-membro. Desse modo, a competência estadual para definir a tipologia dos empreendimentos sujeitos ao licenciamento ambiental municipal tem como finalidade evitar a instituição de “guerra ambiental” entre as Municipalidades, fenômeno nocivo à tutela ambiental. Após alguns anos da edição da Lei Complementar nº 140/2011, os Órgãos Estaduais de Meio Ambiente estão editando atos normativos para definir os empreendimentos sujeitos ao licenciamento ambiental municipal. A título ilustrativo, no âmbito do Estado do Rio de Janeiro, ocorreu a descentralização do licenciamento, através de convênios com os Municípios, observando a capacidade de infraestrutura de cada um.

LICENCIAMENTO

Para execução do convênio, faz-se necessário o empoderamento do Órgão Municipal de Meio Ambiente, através de infraestrutura administrativa possuindo nos quadros do órgão, ou à disposição desse órgão, profissionais habilitados para realização do licenciamento ambiental e, com competência para o exercício da fiscalização ambiental da atividade licenciada, bem como estrutura própria para o exercício de força coercitiva, no sentido de aplicar as penalidades previstas em lei. A definição das atividades licenciáveis pelos Municípios configura apenas o primeiro passo para afirmação da competência municipal em matéria de licenciamento ambiental. Isso porque, conforme estipulado pela Lei Complementar nº 140/2011, para que um ente federado promova licenciamento ambiental dois requisitos devem ser concomitantemente preenchidos: existência de conselho de meio ambiente e de órgão ambiental capacitado, no caso do Estado do Rio de Janeiro, em sua maioria, os Municípios do Estado deixam a desejar muito em relação as suas estruturas das Secretarias ou Departamentos de Meio Ambiente. Fato é que, por meio da delegação da competência da promoção de licenciamento ambiental, todos ganham – Município, inciativa privada, coletividade e meio-ambiente, a delegação da atividade licenciadora tende ser extremamente benéfica à própria tutela do meio-ambiente.

(*) Biólogo e Consultor Ambiental.

 


No responses yet

nov 23 2017

JORNAL DO TOTONHO.

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_5


No responses yet

nov 22 2017

NOTÍCIA & OPINIÃO

Published by under Jornalismo

MARQUINHO_MENDES_13

Marquinhos perdeu mais uma.

O prefeito Marquinhos Mendes (PMDB) perdeu mais um recurso feito por seu advogado no processo chamado aqui em Cabo Frio de 101. Foram tantos recursos, agravos e liminares que fica difícil explicar o que seus advogados podem tentar ainda para “safar a onça” do prefeito.

Esquecer? Não dá!

O histórico do prefeito Marquinhos Mendes (PMDB) nesse processo citado no Fantástico por Foro Privilegiado não é de cunho eleitoral e sim criminal. No âmbito eleitoral ele está condenado em última instância, mas com uso das brechas legais conseguiu judicializar as eleições de 2016.

Resta uma esperança.

Com a manifestação corporativista da câmara federal de alterar a decisão do STF no julgamento da retroatividade da elegibilidade para 8 anos, renasce no grupo do PMDB cabofriense a esperança de se manter no poder.

Sonhar não custa nada.

Não será tão fácil a manobra corporativista do PMDB/PP dar certo. Não dá para a câmara federal simplesmente alterar uma matéria transitada em julgado no STF, de modo a anular a decisão. Descaracterizaria a independência dos três poderes.

A situação se agravou.

Depois da forte reação do judiciário no caso da libertação da trinca do PMDB (Jorge Picciani, Paulo Mello e Albertassi), mesmo partido do prefeito Marquinhos Mendes, muita coisa vai rolar nos bastidores do poder.

O efeito Barroso.

LUIS-ROBERTO-BARROSO

A figura ética e emblemática do ministro Luís Roberto Barroso, bastante atento ao “Caso Marquinhos”, tem sido referência de tranquilidade, e de segurança jurídica dentro do STF. O ministro Barroso aliado a Rosa Weber tem trabalhado no sentido de combater a impunidade.

O Escândalo do RH na área.

O grave erro político da Alerj em libertar a trinca do PMDB acabou por dar ao prefeito Marquinhos Mendes (PMDB) um alívio temporário, desviando o foco do ‘Escândalo do RH’. Sem desmerecer o anteparo jurídico do prefeito o Jornal do Totonho volta a recomendar a convocação dos aldeenses Doutor Juquinha e Paulinho Badhu para engrossar a tropa do prefeito.

Que tal uma rezadeira?

REZADEIRA

A maré não anda nada boa para o prefeito, que logo em seguida virou manchete no Fantástico, como símbolo da impunidade inerente ao Foro Privilegiado. Agora perdeu mais uma na justiça. Quem sabe, além do reforço aldeense, uma reza forte com uma daquelas antigas rezadeiras de Cabo Frio?

Inquietude & Agressividade.

Os “cabos eleitorais” de Marquinhos Mendes (PMDB) estão muito inquietos. Esse desassossego se reflete nas redes sociais da internet onde o nível de agressividade tem subido bastante. Os “alairzistas” sossegaram depois do esfrega que o velho morubixaba levou quando tentou fazer uma reentrada no dia a dia da política.

Tem governo? To dentro!

O deputado estadual Silas Bento (PSDB), talvez por falta de costume, não conseguiu se manter por muito tempo na oposição e voltou ao seu perfil: tem governo? To dentro. Por essas e outras é que o deputado tucano não está levando muitas pauladas no caso da libertação da trinca do PMDB.

TOTONHO_COM_BARBA_1

Luiz Antônio Nogueira da Guia.


2 responses so far

nov 22 2017

CHARGES

Published by under Jornalismo

CHARGES VERMELHO

02

03

04

05


No responses yet

nov 22 2017

FORRÓ DO CASARÃO

Published by under Jornalismo

FORRO-CASARAO


No responses yet

nov 22 2017

JORNAL DO TOTONHO

Published by under Jornalismo

JORNALDOTOTONHO_5


No responses yet

nov 21 2017

NOTÍCIA & OPINIÃO.

Published by under Jornalismo

revolta

O Escândalo do RH.

O Escândalo do RH não chegou ao fim, mesmo após o hiato do bafafá provocado pela liberdade da trinca formada por Albertassi, Picciani e Paulo Mello. Tudo vai depender da ação do Ministério Público e de parte da câmara de vereadores.

Marquinhos: mau uso do foro privilegiado.

mm

Marquinhos Mendes (PMDB) reconhecendo que o problema dele é grande?

Marquinhos Mendes (PMDB) pensava estar respirando aliviado quando apareceu na noite de domingo a reportagem do Fantástico, que o apresentou como exemplo do mau uso do foro privilegiado.

Efeito Barroso.

Ministro Luis Roberto Barroso dá entrevista em seu gabinete

O ministro Luís Roberto Barroso mostrando que o problema é maior ainda.

A reportagem do Fantástico se deve a grande repercussão do chamado Efeito Barroso, que deixou o prefeito de Cabo Frio em maus lençóis. O processo foi lá, voltou, foi lá de novo e Marquinhos Mendes (PMDB) até agora não pagou nada.

Vão ou ficam?

Nas redes sociais muita gente quer saber quando o STF vai determinar a “modulação” da decisão que estabeleceu a punibilidade da Lei da Ficha Limpa para oito anos. Os portariados da prefeitura estão ansiosos, não sabem se vão ou se ficam.

“Andorinhas” ansiosas.

As “andorinhas” de Adriano Moreno (REDE), obviamente também estão ansiosas, são três as opções: 1) Adriano Moreno toma posse e vira prefeito. 2) Marquinhos sai, Aquiles toma posse e nova eleição é convocada. 3) Não acontece nada e Marquinhos continua prefeito até 2020.

Marquinhos & Picciani

Alguém conhece algum pronunciamento de Marquinhos Mendes (PMDB) a respeito da prisão e libertação do presidente do seu partido, Jorge Picciani? A “mídia amiga” não vai pedir nenhuma entrevista sobre o assunto ao prefeito?

E o apoio a Leonardo?

Antes da crise, Marquinhos Mendes (PMDB) tinha fechado para 2018 o apoio à reeleição do deputado federal Leonardo Picciani, que no momento é ministro dos esportes do governo de Michel Temer. Como todos são do PMDB será que os dois clãs, Mendes e Picciani, vão continuar unidos?

Pequenas diferenças?

As diferenças na área de meio ambiente amainaram, mas não cessaram: Eduardo Pimenta, Jailton Dias Nogueira, Marcela Santanna continuam personagens de ações e ideias diferentes, digamos assim. Enquanto isso, Antônio Ângelo Trindade Marques vai tocando seu Horto Público Municipal. Certo?

Enrolação pura!

A alta temporada está aí mesmo e apesar da propaganda bem feita pela comunicação social da prefeitura, a cidade tem pouco ou nada para mostrar aos visitantes. Que tal levar um grupo de turistas para visitar a quase adernada Fonte do Itajuru ou mesmo a Fazenda Campos Novos?

Depois do Defeso.

O Festival do Camarão terminou ontem e com grande sucesso. Finalmente, a secretaria municipal de turismo em um gesto de bom-senso mudou o período do evento para depois do defeso.

Marquinhos, o prefeito preocupado com a educação.

Segundo a secretaria de educação de Cabo Frio escolas como as creches que não tem 300 alunos, só terão direito a um ASG (Auxiliar de Serviços Gerais) uma cozinheira, um inspetor. O diretor terá que escolher o turno que vai comer, o turno que é limpo e assim por diante.


No responses yet

nov 20 2017

EDITORIAL – A ZONA JURÍDICA CRIADA PELO STF.

Published by under Jornalismo

EDITORIAL VERMELHO

A ZONA JURÍDICA CRIADA PELO STF.

A decisão esdrúxula do STF tomada para salvar o mandato de Aécio levou a zona que se transformou o ordenamento jurídico no que tange a cassação e prisão de parlamentares.

A Constituinte quando da elaboração de nossa Carta Magna incluiu a imunidade parlamentar para que livrasse o cidadão no exercício do mandato de tentativas de cerceamento a livre manifestação do pensamento e ações que limitassem seu desempenho nas atividades de representação popular.

Ao longo dos anos parlamentares e autoridades com direito a imunidades e foro privilegiado, que cometeram crimes comuns como corrupção, apropriação indevida de recursos públicos e até assassinatos foram sendo protegidos pelos seus pares. Até que o ministro Marco Aurélio em decisão monocrática decretou o afastamento do mandato e a prisão domiciliar do senador Aécio Neves.

Estava armada a confusão! Como permitir que Aécio passasse por uma situação destas!? Como permitir que as noites cariocas não contassem com o brilho do senador mineiro? O pleno do STF então toma a decisão que afastamento de mandato e prisão de parlamentar só em flagrante. Caso contrário só com autorização do parlamento. Pronto, estava estabelecida a zona.

Assembleias legislativas país a fora libertando seus pares. Libertando mesmo, pois depois de tomada a decisão não estão esperando nem o alvará de soltura do judiciário. Vão lá na cadeia e soltam os colegas.

Agora, depois da casa arrombada a Associação de Magistrados Brasileiros e o MP recorrem ao STF para saber se no Acordão consta a inclusão de deputados estaduais e vereadores ou só os parlamentares em nível federal.

Virá outra aberração, pois transformou estes em políticos de “primeira classe” o que é claramente uma afronta a democracia representativa que não prevê hierarquia nos níveis de representação. Ou seja: um deputado estadual, não é menos que um federal que por sua vez não é menos que um senador, apenas desempenham as atividades em esferas legislativas diferentes.

Como se vê o arranjo para livrar Aécio esta custando caro à democracia brasileira.

Nas assembleias legislativas até pelo número menor de membros as pressões corporativas são enormes. O menor número de parlamentares faz com que a convivência seja mais próxima que na Câmara Federal com seus mais de 500 membros.

Com relação à votação da ALERJ vi a postagem de Janio Mendes sobre as razões de seu voto e o entendo. Ele é e sempre foi um legalista (é inclusive pós-graduado em Direito Constitucional), e deu seu voto segundo sua consciência.

E o mais importante: o conheço há décadas e sei que é um homem honesto, honrado, uma pessoa decente. Podemos até discordar do posicionamento dele, mas ele sempre terá argumentos coerentes para as posições que toma. Pois as assume sempre com a convicção do espírito.

Jornal do Totonho

O texto acima foi elaborado pelo empresário e professor Jefferson Buitrago, que busca a racionalidade, sem as paixões agudas inerentes ao período que vivemos. Ao trazer esse texto o Jornal do Totonho o incorpora e faz dele o seu editorial.


6 responses so far

nov 20 2017

É FANTÁSTICO!!!

Published by under Jornalismo

MARQUINHO_MENDES12

Fantástico – 1

O Jornal do Totonho já estava fechado para essa segunda, mas a direção não pode deixar de citar, mais uma vez, o prefeito de Cabo Frio, Marquinhos Mendes (PMDB) citado como exemplo de péssimo uso de Foro Privilegiado, numa reportagem do Fantástico.

Fantástico – 2

Apesar de todos na cidade saberem como age a dupla que comandou nos últimos 20 anos a prefeitura, com seus atos não republicanos é fantástico até agora não ter aparecido a Polícia Federal por aqui, investigando a farra de desmandos existentes na nossa cidade.


No responses yet

nov 20 2017

NOTÍCIA & OPINIÃO – O PODER NO RIO.

Published by under Jornalismo

11

Oportunismo – 1.

A prática da politicagem é também de oportunismo. Os alairzistas e principalmente os “cabos eleitorais” ligados a Marquinhos estão “caindo de pau” no deputado Janio Mendes (PDT) por seu voto na Alerj pela soltura da trinca Picciani, Paulo Mello e Albertazzi. Todos, alairzistas e cabos eleitorais de Marquinhos, revoltados com a corrupção.

Oportunismo – 2.

PICCIANI-MARQUINHOS

Marquinhos Mendes e seu candidato a reeleição para a câmara federal, Leonardo Picciani.

O maior amigo político de Jorge Picciani (PMDB) em Cabo Frio é o prefeito Marquinhos Mendes (PMDB). O prefeito, inclusive, está comprometido em apoiar a reeleição do filho, Leonardo Picciani (PMDB), atual ministro dos esportes de Temer (PMDB), a câmara federal, também investigado pelo MPF e a Polícia Federal. Portanto …

O voto que caiu do céu para Marquinhos.

JANIO_MENDES_PEQUENO  X  MM1

O voto de Janio Mendes (PDT) pela libertação da trinca do PMDB: Picciani, Paulo Mello e Albertassi, caiu do céu para o grupo político de Marquinhos Mendes, também do PMDB. O desgaste do prefeito com o atraso dos salários dos servidores e suas inúmeras complicações com a justiça, que podem terminar na cassação do seu mandato, foram sublimadas e seus cabos eleitorais se concentraram na condenação de Janio.

Silas leva menos pauladas.

Nota-se que Silas Bento (PSDB) não está levando nem 10% das pauladas do deputado trabalhista. Primeiro, porque ninguém esperava nada mesmo de Silas, mesmo sendo tucano e consequentemente da “oposição”. Segundo, porque Silas nunca teve atuação e muito menos discurso centrado na ética e no combate a corrupção. Esse conjunto de fatores explica em parte o tamanho da avalanche contra o deputado pedetista.

Malas prontas.

SILAS-MOREIRAFRACO

Nesta foto o deputado Silas Bento com Moreira Franco, um dos conselheiros mais próximos de Temer.

O deputado Silas Bento (PSDB) não é tucano de carteirinha e segundo rumores na Alerj estaria de malas prontas para o Democratas de César Maia. Começou o mandato tateando na oposição e agora se entregou ao governo. Silas Bento precisa do apoio do governo para enfrentar o pastor Samuel Gonçalves, nas eleições de 2018.

Insultos e grosserias.

A enxurrada de insultos e grosserias registradas nas redes sociais da Internet tem algumas interpretações. Boa parte delas das classes médias urbanas, que não toleram qualquer chance aos corruptos que se lambuzaram com o dinheiro público, afrontando a população. Outros são bolsonaristas, que não perdem oportunidade para degradar a política e os políticos.

Continua mandando.

LAURA_BARRETO_1

Apesar de ter migrado para a secretaria municipal de ciência e tecnologia, a professora Laura Barreto, continua tendo grande influência política na área. Laura Barreto se livrou do desgaste político, mas continua mandando muito. Afinal, é a mãe do presidente da câmara.

Recovecos, no Beco das Garrafas.

SARAH

Com as bênçãos de Roberto Menescal acontece a primeira apresentação do show “Recovecos”,em Copacabana, no Beco das Garrafas, no dia 20 de novembro com Junior Carriço , Sarah Dhy e João Pires. Em 14 de dezembro vai ter o segundo lançamento do livro “Recovecos” em Arraial do Cabo na Casa da Poesia.

Reunião do Conselho do Parque da Costa do Sol.

Na próxima quinta-feira, 23, a partir das 14 horas, acontece à reunião do Conselho do Parque da Costa do Sol, na Associação Comercial, Turística, Industrial e Agrícola (ACIASPA), na Rua Gloria Lobo, nº 360, no Centro de São Pedro da Aldeia. A sua presença é muito importante.

 TOTONHO_COM_BARBA_1

Luiz Antônio Nogueira da Guia.


No responses yet

nov 20 2017

FOLHA – Tânia Beserra.

Published by under Jornalismo

FOTOS VERMELHO

FOTO


No responses yet

nov 20 2017

DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Published by under Jornalismo

3


No responses yet

« Prev - Next »