nov 24 2017

SOBRE O NOTICIÁRIO POLÍTICO DOS DIAS ATUAIS. Cláudio Leitão

Published by at 5:10 under Jornalismo

ARTIGO VERMELHO

CLAUDIO_LEITAO_1

SOBRE O NOTICIÁRIO POLÍTICO DOS DIAS ATUAIS.

Cláudio Leitão (*)

Várias pessoas comentaram comigo por esses dias de como são vergonhosas, enfadonhas e repetitivas as notícias sobre política que estão em todas as mídias regionais e nacionais. Sem tirar a razão destas pessoas, respondi que as notícias derivam dos atos e ações políticas praticadas por agentes eleitos pela população. Logo, a responsabilidade sobre o que ocorre de bom ou ruim nas questões políticas da cidade, do estado e do país deve ser compartilhada pelos eleitores, afinal como diz a sabedoria popular “políticos não vêm de Marte”.

A vitória de alguns maus políticos reflete a vontade popular da maioria. O engraçado de tudo isso é que depois de votar sucessivas vezes neste mesmo político, o eleitor reclama da política de uma maneira geral, esquecendo que esta sucessão de erros também é responsabilidade sua. O modelo e a forma de fazer política não mudarão se continuarmos a ter o mesmo comportamento desatento, pouco observador, sem critério e acharmos que “político é tudo igual” e que é impossível mudar esta realidade.

Um processo de renovação dos quadros políticos é um tema que sempre surge quando estamos nas vésperas de novas eleições. A princípio, não deve ser encarado como uma solução perfeita. Sempre poderemos ter decepções com os novos eleitos. Não há garantias escritas na testa de ninguém. Outro cuidado é verificar se a “cara nova” não representa os velhos interesses de grupos ou políticos já encastelados no poder. Esta é a pior renovação, pois é a novidade do engodo, do embuste e da enganação.

Também não podemos cair naquele argumento reducionista que não devemos reeleger ninguém. Quem faz um bom trabalho e se coloca ao lado do povo trabalhador e da população de modo geral, merece continuar exercendo tal função pública. Estes políticos existem e estão lá nos defendendo, o que precisamos é apurar nosso senso crítico e de cidadania, buscar mais informações e reconhecê-los.

Uma coisa é certa. Nenhuma mudança política virá se continuarmos elegendo sempre os mesmos. Nenhuma mudança virá se não tivermos a coragem e a ousadia de implementarmos um largo processo de renovação, independente dos riscos a serem assumidos.

Já dizia Ghandi no século passado: “Seja você a mudança que quer ver no mundo”. Também podemos refletir sobre uma frase do escritor, poeta e dramaturgo alemão Bertolt Brecht: “Nada deve parecer natural. Nada deve parecer impossível de mudar”.

Entendo que independente da natureza das notícias políticas, se boas ou ruins, devemos conhecê-las, e hoje graças ás redes sociais, o fato torna-se notícia em tempo real. Elas podem nos fazer mudar de opinião sobre alguns temas e vão, aos poucos, nos ajudando a apurar o senso crítico. Lado político todo mundo tem, é legítimo e normal, sob o ponto de vista democrático da “livre opinião”.

Aqui na cidade você vai encontrar setores da mídia e pessoas que criticam determinados políticos e se omitem na crítica a outros. Você também vai encontrar outros que apenas visam elogiar e ser corrente de transmissão de poder do mandatário de plantão. Algumas notícias tem clara intenção difamatória, com linguagem chula e agressiva, sem apresentar nenhuma prova do que postam e que servem a interesses políticos inconfessáveis.

Enfim, a política, em seu sentido mais amplo e não apenas aplicada a questões partidárias, faz parte do cotidiano de nossas vidas e tudo, tudo mesmo, depende de decisões políticas.

Logo, temos que ir a luta, ter apuro e critério para diminuirmos as possibilidades de errar ao escolhermos nossos representantes, e se for o caso, temos também que aprender com nossos erros. Só não podemos é continuar repetindo-os, pois a história política de nossa cidade, do nosso estado e do nosso país tem sido uma repetição de tragédias e farsas.

“As pessoas tem medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem.”
Chico Buarque de Holanda

(*) Economista, professor de história e militante do PSOL Cabo Frio.


No responses yet

Comments RSS

Deixe uma resposta